Marcha da Maconha no Rio de Janeiro reivindica legalização inclusiva

Os participantes questionaram o alto custo do canabidiol (CBD) e defenderam a inclusão das favelas no processo de legalização.

Por Plox

07/05/2023 09h30 - Atualizado há cerca de 1 ano

A 21ª edição da Marcha da Maconha ocorreu na Praia de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, no último sábado (6), reunindo manifestantes em defesa da legalização da erva para uso medicinal e recreativo. Os participantes questionaram o alto custo do canabidiol (CBD) e defenderam a inclusão das favelas no processo de legalização.

Fernando Frazão Agência Brasil

Legalização popular e inclusiva

Flávia Soares, uma das organizadoras do ato, ressaltou a necessidade de uma "legalização popular" que evite a concentração do comércio da erva nas mãos de grandes empresas. Ela mencionou que, apesar de a maconha continuar ilegal, o óleo de CBD custa R$ 2,5 mil por 30 mililitros nas drogarias. Ainda segundo Flávia, o uso terapêutico do canabidiol tem sido aceito devido aos benefícios relatados no tratamento de diversas doenças, porém, é preciso combater o estigma em relação ao uso recreativo.

Marcha das Favelas

O ativista Felipe Gomes, organizador da Marcha das Favelas, programada para 22 de julho no Complexo do Alemão, busca levar o debate sobre a legalização da maconha para as favelas do Rio de Janeiro. Ele defende uma legalização inclusiva e popular que contemple as comunidades, que são as principais vítimas da proibição. Para Felipe, a legalização pode representar uma oportunidade de geração de renda e autonomia para os moradores das favelas.

Rio de Janeiro (RJ), 06/05/2023 - A Marcha da Maconha 2023, caminhada pela legalização, acontece na orla de Ipanema. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão Agência Brasil

Ações pela legalização

A Marcha da Maconha, que teve início em Nova York em 1999, já aconteceu em 250 cidades de 70 países com o objetivo de debater a legalização e a regulamentação do consumo e comércio da maconha. No Brasil, as manifestações ocorrem de forma mais sistemática desde 2006.

 

Rio de Janeiro (RJ), 06/05/2023 - A Marcha da Maconha 2023, caminhada pela legalização, acontece na orla de Ipanema. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão Agência Brasil

Ala medicinal na Marcha da Maconha

A edição deste ano da Marcha da Maconha contou também com a presença de uma ala medicinal, composta por pacientes e familiares que fazem uso medicinal da Cannabis e são associados da Apepi. A organização foi fundada em 2014 para apoiar ações de pesquisa e divulgação de informações que promovam acesso ao uso medicinal da planta.

Destaques