Com R$ 8,2 milhões confiscados, defesa de Temer pede que juiz revise bloqueios

07/06/2019 08:12

A defesa afirmou que Temer utiliza mensalmente uma média de R$ 96.766,31 para arcar com suas despesas fixas

Publicidade

O ex-presidente Michel Temer (MDB) tem R$ 8,2 milhões confiscados em suas contas bancárias. Diante disso, os advogados do político solicitaram que esses embargos sejam revisados, para que ele consiga custear suas despesas familiares mensais. O pedido tinha sido feito pela defesa à juíza substituta Caroline Vieira Figueiredo no começo do mês passado, mas foi recusado. Agora, a solicitação foi feita para o juiz federal da Lava-Jato do Rio de Janeiro, Marcelo Bretas.

Michel Temer

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil


Os defensores de Temer alegam ser imprescindível que a Justiça "reconsidere a decisão" da juíza Caroline que não modulou o bloqueio. A defesa afirmou que Temer utiliza mensalmente uma média de R$ 96.766,31 para arcar com suas despesas fixas, limitada ao necessário para seus custos mensais "e ainda, aquelas de natureza extraordinárias, às quais não são passíveis de serem arbitradas neste momento". Os defensores do emedebista alegam que "Michel Temer não só se vê impedido de dispor de algum bem para prover o seu sustento e de sua família, como todo e qualquer valor auferido a partir do dia 20 de março de 2019 está sujeito a ser bloqueado, ainda que percebidos a título de remuneração por serviços prestados ou aposentadoria”.


O ex-presidente tem ganhos com um título de aluguel de imóvel no valor de R$ 80 mil, tem a remuneração de sua aposentadoria de R$ 22.415,97. Ele ainda possui dois títulos de aposentadoria, sendo um de R$ 6.540,79 e outro de R$ 2.099,71. Esses valores totalizam R$ 111.056,47 e permitem segundo os advogados do político, “a manutenção e sustento” do ex-presidente e da família dele. 

Atualizada às 10h13



Publicidade