Ipatinga

política

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Após ser chamado de “careca ladrão” por publicitário, que foi detido, Alexandre Moraes determina mais prisões

    Aparelhos eletrônicos e documentos estão sendo apreendidos e analisados.

    Por Plox

    07/09/2021 13h56 - Atualizado há 13 dias

     

    A Polícia Federal está cumprido prisões e buscas determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF). A ordem foi dada nesta segunda-feira (6). O ministro determinou que, além das buscas e apreensões, ocorra também o bloqueio de contas bancárias.

    Entre os alvos da determinação do ministro estão a Associação Nacional de Produtores de Soja (Aprosoja) e a Aprosoja de Mato Grosso.

     

    O ministro foi chamado de  "careca ladrão” e “advogado do PCC”-Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF)

     

    O ministro também determinou o bloqueio das redes sociais de Márcio Giovani Niquelatti e  Cássio Rodrigues Costa Souza. Este último foi preso na região central de Minas Gerais, em Conselheiro Lafaiete. Ele é ex-policial e foi levado para um batalhão da cidade. Cássio é acusado de divulgar mensagens agressivas e ameaçadoras contra os ministros do STF e teria usado as suas redes sociais para afrontar diretamente o ministro Alexandre de Moraes. Ele agora irá responder a um inquérito.


    O prefeito da cidade de Cerro Grande do Sul (RS) também foi alvo de busca e apreensão em seus endereços. Gilmar João Alba (PSL) foi flagrado com cerca de R$500.000 em uma mala. Ele disse que o dinheiro lhe pertence que o obteve de forma lícita, mas há suspeitas de que usaria esse dinheiro para custear manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro. Após suas declarações, foi dada a ordem para buscas em seu endereço.


    As decisões de Moraes atendem a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Aparelhos eletrônicos e documentos estão sendo apreendidos e analisados.

    Publicitário  e outros detidos

    Na madrugada de quinta para sexta-feira (3),  o publicitário Alexandre da Nova Forjas foi detido e levado a uma delegacia. O ministro Alexandre de Moraes havia chegado de Brasília e estava em seu apartamento, que fica perto do clube Pinheiros em São Paulo.   O ministro teria ouvido, de seu apartamento, seu nome em xingamentos que vinham do clube. O publicitário foi apontado pelos seguranças do ministro como sendo a pessoa que gritava no clube os xingamentos. careca ladrão”, “advogado do PCC”, “vamos fechar o STF” e “careca filha da puta” [sic].

    O ministro registrou um boletim de ocorrência contra o publicitário. Clique para ver o documento.

     

    Vários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro estão sendo presos e investigados por ordem do ministro Alexandre de Morais. Na sexta-feira (3), A Polícia Federal prendeu, por ordem dele, prendeu o blogueiro bolsonarista Wellington Macedo. O bolsonarista oi preso em um hotel de Brasília –.

     

    "A medida, cumprida em Brasília, tem o objetivo de aprofundar investigações em curso nos autos de inquérito que tramita naquela Corte", diz o comunicado da Polícia Federal, confirmando que agia em cumprimento a ordem da Corte (STF).

     

    O cantor e deputado também é alvo de inquérito. Foto: Nilson Bastian | Câmara dos Deputados

    Nesse mesmo inquérito, Moraes determinou buscas e apreensões em endereços ligados ao cantor Sérgio Reis e ao deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), que também é apoiador de Bolsonaro.


     

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]