Renegociação de dívidas do Fies inicia com condições facilitadas para inadimplentes

Oportunidade para regularizar contratos vencidos é anunciada pelo ministro Camilo Santana

Por Plox

07/11/2023 07h46 - Atualizado há 5 meses

Com início nesta terça-feira, a renegociação das dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) marca um novo capítulo para mais de um milhão de contratos inadimplentes. O Ministro da Educação, Camilo Santana, após encontro com o presidente Lula e representantes de instituições financeiras, detalhou as novas condições que prometem alívio financeiro significativo para os beneficiários do programa.

Detalhes da renegociação

Conforme a legislação sancionada pelo presidente, todos os contratos firmados até o final de 2017 com pendências até 30 de junho de 2023 estão aptos a renegociar seus débitos. O ministro Santana destacou a possibilidade de redução de até 99% do valor principal e isenção total dos juros e multas, condições estas que dependem da situação específica de cada contrato.

Procedimentos e benefícios

Para ajustar os termos dos financiamentos, os mutuários podem procurar as agências da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil ou entrar em contato por meio dos números 0800 das respectivas instituições. Aqueles que estão com pagamentos em dia também foram incentivados a procurar as instituições para obterem descontos no saldo devedor.

Futuro do Fies e apoio às universidades

O ministro Camilo Santana ressaltou a importância do Fies na democratização do acesso ao ensino superior e adiantou que o governo está reavaliando o perfil dos inadimplentes para aprimorar a gestão do programa. Ademais, a nova lei traz vantagens para as universidades participantes, estipulando um limite de contribuição ao Fundo Garantidor do Fies, o que segundo o MEC, deve influenciar positivamente na oferta de vagas pelo programa.

Destaques