1.600 médicos reforçam atendimento em 654 municípios brasileiros através do programa Mais Médicos

Iniciativa busca diminuir disparidades na saúde e assegurar serviços em áreas de vulnerabilidade

Por Plox

08/04/2024 07h25 - Atualizado há cerca de 2 meses

Novos profissionais integram força-tarefa para saúde pública

Nesta segunda-feira, um contingente de 1.600 médicos será distribuído por 654 municípios brasileiros, como parte do programa Mais Médicos. Essa ação, promovida pelo governo federal, visa minimizar as desigualdades no acesso à saúde e promover assistência médica em regiões marcadas pela vulnerabilidade socioeconômica.

MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL — ARQUIVO

Ampliação e reestruturação do Mais Médicos

Com essa nova leva, o número total de médicos atuando pelo programa ascende a 24.770, espalhados pelo território nacional. Wellington Carvalho, do Departamento de Apoio à Gestão da Atenção Primária, destaca a reformulação do programa para torná-lo mais atraente para os profissionais, ressaltando que 60% das vagas foram preenchidas por médicos brasileiros. Ele enfatiza a importância da atenção primária à saúde, capaz de resolver até 80% dos problemas de saúde da população.

Investimentos e resultados esperados

Em 2023, o programa priorizou a Amazônia Legal com a criação de mais de 1.000 vagas e aumentou em 45% o número de profissionais dedicados à saúde indígena. Foram criadas vagas para equipes de saúde prisional e para consultórios de rua, iniciativas inéditas no programa. Estados como São Paulo, Bahia e Minas Gerais foram os que mais receberam médicos, reforçando o compromisso do governo com a saúde pública em diversas regiões.

O Ministério da Saúde enfatiza que os médicos do programa Mais Médicos não só realizam consultas, mas também engajam-se em atividades de promoção, prevenção, educação em saúde e visitas domiciliares, assegurando um cuidado integral à população.

Destaques