Nova iniciativa visa promover o descarte adequado de medicamentos no país

Uma estratégia para aprimorar a destinação final de fármacos inutilizados

Por Plox

08/04/2024 09h47 - Atualizado há cerca de 1 mês

Brasília, 7 de abril de 2024 - Uma nova campanha lançada no Brasil neste domingo busca estimular a prática do descarte responsável de medicamentos entre a população. A ação, denominada “Não Usou, Descartou”, surge em resposta à crescente preocupação com os impactos ambientais causados pelo descarte inadequado de fármacos.

(Foto: Divulgação/Agência Brasil)

A importância de descartar medicamentos corretamente

Consciência ambiental e saúde pública: A farmacologista Soraya Smaili, uma das apoiadoras da campanha, destaca a importância de evitar que medicamentos não utilizados acabem em lixões, vasos sanitários ou pias, práticas que contribuem para a poluição de solos e corpos hídricos. Ela enfatiza a detecção frequente de substâncias farmacêuticas em reservatórios de água, rios e mares.

A experiência de uma moradora de Brasília: Lidiane Casco compartilha sua prática consciente de descarte, motivada por uma experiência pessoal com a necessidade de eliminar medicamentos após o tratamento de saúde de seu filho. Sua ação reflete um exemplo de responsabilidade ambiental que a campanha deseja promover entre os brasileiros.

Como realizar o descarte adequado

Pontos de coleta e logística reversa: Os organizadores da campanha informam que o Brasil possui aproximadamente 4.000 pontos de coleta para a devolução de medicamentos e embalagens usadas. Soraya Smaili ressalta que cidades com mais de 100 mil habitantes contam com farmácias preparadas para receber esses itens, além de alguns postos de saúde que também oferecem esse serviço.

O que pode ser descartado: Além dos medicamentos, a iniciativa orienta que embalagens como cartelas de pílulas, frascos de xarope e utensílios como copos medidores e seringas devem ser entregues nos pontos de coleta. Caixas de papelão e bulas, por outro lado, podem ser destinadas à reciclagem. É importante notar que materiais cortantes ou pontiagudos devem ser descartados em unidades básicas de saúde, que possuem infraestrutura adequada para esse tipo de resíduo.

Resultados e expectativas

A campanha "Não Usou, Descartou" busca dar continuidade ao progresso já observado no país, que viu o volume de medicamentos descartados corretamente dobrar em 2023, alcançando 600 toneladas.

Destaques