Especialista fala sobre riscos do jaleco médico para os pacientes

08/05/2019 07:51

Um estudo publicado no periódico Infection Control and Hospital Epidemiology alertou que até 16% desses micróbios presentes no jaleco podem ser resistentes à medicação

Publicidade

O jaleco branco usado pelos médicos, dentistas e veterinários é um símbolo de grande importância para a comunidade médica, considerado praticamente o uniforme associado à profissão. No entanto, estudos recentes mostram que ele pode representar perigo ao paciente.

(Foto: divulgação)(Foto: divulgação)

A Dra. Ana Paula Moro é uma especialista não apenas em odontologia, mas também no assunto dos jalecos, ela explica porque o jaleco pode acabar por representar algum risco ao paciente: “devido ao contato direto com pacientes que apresentam variadas doenças e infecções, a peça pode se contaminar com bactérias. É muito importante ter determinados cuidados com o jaleco, de preferência não usar o mesmo sem lavar por mais de 1 dia”. 

Um estudo publicado no periódico Infection Control and Hospital Epidemiology alertou que até 16% desses micróbios presentes no jaleco podem ser resistentes à medicação, como a Staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM). Os dados são preocupantes já que trabalho anterior mostrou que a maioria dos médicos passa mais de uma semana sem lavar o jaleco.

(Foto: divulgação)(Foto: divulgação)

A Dra. Ana Paula Moro recomenda que os médicos tenham mais de uma opção de jaleco e que evitem repeti-lo por um longo período: “o ideal é ter um jaleco para cada dia da semana, e ao final do plantão ou do expediente no consultório já encaminhá-lo para lavagem”, afirma.



Publicidade