Com nova governança, UBEC encara crise da educação com mais investimentos

08/10/2019 17:46

Grupo educacional expandiu com aquisições e ampliação das unidades e acredita na modalidade EAD 

Publicidade

A União Brasileira de Educação Católica (UBEC), iniciou em fevereiro de 2012, o mais profundo processo de reestruturação de sua história, então de 40 anos. Apoiada pela consultoria da MESA Corporate Governance, especializada em governança, gestão corporativa e sucessão familiar e empresarial, a UBEC incorporou novas diretrizes que transformaram seu modelo de administração e o estatuto social.

Em meio ao processo, a instituição ainda precisou atravessar o conturbado momento político econômico do País, que culminou numa das mais graves crises do sistema educacional brasileiro. 

Ao invés de se retrair, o Grupo UBEC decidiu seguir os planos definidos no processo de reestruturação e apostou mais alto – abriu novas unidades, ampliou polos já existentes e modernizou sua plataforma de educação à distância.

Nos últimos dois anos, o Grupo aumentou em 60% o total de alunos presenciais no Distrito Federal (DF) e em 300% o total de alunos na modalidade EAD. Com 30 mil estudantes matriculados em seus cursos no Brasil, a UBEC também possui estudantes no Japão, Angola e Estados Unidos. 

Por trás da decisão de de uma nova gestão e governança, estava o desejo da UBEC de manter a longevidade, com a busca de novos modelos de ensino baseados em tecnologia e inovação. A intenção era mostrar que também estava aberta a incorporar modernidade à sua linha pedagógica evangelizadora.

“Passamos semanas aprendendo no Vale do Silício e frequentamos congressos como o GEduc”, diz o presidente da UBEC, Padre José Romualdo Degasperi, sobre o investimento que o Grupo tem realizado em inovação. Segundo Degasperi, a nova gestão incentivou a tomada de decisões arrojadas da instituição, como aumentar o número de unidades em um período de retração econômica do Brasil, quando programas de financiamento, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), começaram a entrar em declínio.

Antes dos investimentos e expansão, a UBEC gerenciava três escolas de ensino fundamental e médio, além de três unidades de educação superior - a Universidade Católica de Brasília (UCB), o Centro Universitário Católica do Tocantins (UniCatólica) e o Centro Universitário Católica do Leste de Minas Gerais (Unileste-MG).

unilesteFoto: divulgação

Expansão

Em 2015, o grupo iniciou um plano de expansão no DF e na região Nordeste, que começou com a aquisição da Faculdade Marista do Recife, hoje denominada Faculdade Católica Imaculada Conceição do Recife. A unidade mudou de endereço em 2018, passando a ocupar uma sede ampla e moderna. Ainda no ano passado, a UBEC lançou no Rio Grande do Norte, no município de Parnamirim, a Faculdade Católica Rio Grande do Norte. 

No DF, em 2018, a Universidade Católica de Brasília inaugurou novos câmpus, em Ceilândia e Sobradinho. Em 2019, foi lançada a Faculdade Católica Metropolitana no município de Luziânia (GO), com processo em tramitação no MEC. Da mesma forma, o Conselho de Administração do Grupo UBEC, aprovou os investimentos na constituição do campus Jardim Botânico, da UCB.

O planejamento também incluiu a ressignificação da Católica EAD, plataforma que oferece os cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Católica de Brasília na modalidade à distância em 34 polos no Brasil, Estados Unidos, Japão e Angola. O Grupo planeja expandir a internacionalização do programa para mais países em 2020, além de oferecer cursos de Mestrado na modalidade.


A Governança

O trabalho inicial da consultoria da MESA durou cerca de seis meses, em um processo que envolveu a diretoria executiva e o Conselho de Associadas, comparado ao que nas empresas são conhecidos como acionistas. Entre as mudanças mais imediatas, a UBEC decidiu fazer a troca do nome, estratégia para dar mais abrangência e representatividade à marca. Antes, a sigla significava União Brasiliense de Educação e Cultura, já que a sede era localizada em Brasília. 

Progressivamente, a consultoria apoiou a implementação de ações mais aprofundadas, como a simplificação das estruturas administrativas e operacionais dentro das unidades escolares. Com base no novo modelo desenhado, a UBEC abriu espaço para dois conselheiros externos independentes. A convite do novo conselho, uma das vagas foi ocupada pelo sócio e CEO da empresa de consultoria, Luiz Marcatti, que desempenha a função até hoje. “Eles tinham uma estrutura básica de assembleia e estatuto, mas faltavam regras mais definidas e sofisticadas de governança”, diz Marcatti. 

MesaLuiz Marcatti. Foto: divulgação



Publicidade