Pacientes do SUS poderão ser tratados com técnica brasileira que reverte derrame cerebral

09/05/2019 07:01

Chamado por alguns de ‘cateterismo cerebral’, um microcateter alcança o cérebro, através de uma artéria da perna do paciente

Publicidade

Pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que sofreram derrame poderão ser tratados com a técnica de trombectomia mecânica, método capaz de fazer a doença retroceder. A técnica já é disponibilizada na rede particular, mas poderá ser levada para a rede pública de saúde.

Elza Fiúza/Agência Brasil

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

O Ministério da Saúde recomendou um estudo que durou quatro anos e demonstrou que o tratamento é eficaz e também se mostrou seguro em um a cada três pacientes. Octavio Pontes Neto, neurologista e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, foi o responsável pelo desenvolvimento do método no Brasil. "O alvo era incluir 600 pacientes, mas, na primeira análise intermediária, com 200, em que pesquisadores externos ao estudo analisam os resultados preliminares, foi constatado que os resultados eram positivos. A técnica é superior ao tratamento clínico", garantiu.

Quem coordenou o estudo clínico foi a neurologista Sheila Martins, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e presidente da Rede Brasileira de AVC. Octavio contribuiu com o trabalho. Sheila informou que as taxas de sucesso do tratamento são altas, chegando a 90%. No Congresso Europeu de AVC, na Itália, serão apresentados oficialmente os resultados. "É um gol de placa no Brasil. O AVC é a segunda causa de morte no país. Há mais de 400 mil casos por ano de AVC e poucos pacientes têm acesso ao tratamento. Os resultados são realmente impressionantes. Há paciente que entra em coma no hospital ou sem mexer completamente um lado do corpo e, muitas vezes, com o tratamento, sai andando", se empolga a profissional.

No procedimento, chamado por alguns de ‘cateterismo cerebral’, um microcateter alcança o cérebro, através de uma artéria da perna do paciente. Essa pequena cânula pega o coágulo que está obstruindo a veia no cérebro. A restauração do fluxo sanguíneo é a finalidade do procedimento, para impedir a morte daquela região cerebral.

Atualizada às 20h58



Publicidade