“Estava bêbado”, diz homem preso acusado de matar filho de 7 meses

Pai confessa ter matado filho após agressões durante confraternização familiar

Por Plox

09/07/2024 08h19 - Atualizado há 14 dias

Wenas Sousa Morais, ajudante de pedreiro de 23 anos, confessou à polícia que, sob efeito de álcool, agrediu e matou seu filho de 7 meses dentro de casa, no bairro do Ipiranga, zona leste de São Paulo. O crime ocorreu durante uma confraternização com familiares e amigos no último domingo (7).

Imagem colorida mostra homem pardo de cabelos compridos amarrados para cima segurando uma placa com o nome dele e o artigo pelo qual foi preso - Metrópoles
Foto: Divulgação/Polícia Civil 

Bebê já chegou morto ao hospital

William Levi Ribeiro Morais foi levado ao hospital na Mooca, também na zona leste, com hematomas nas costas, peito e cabeça. Os médicos constataram que o bebê já estava morto ao chegar à unidade. Desconfiados da versão apresentada pela família, que alegava que o bebê havia se ferido em uma "queda", os profissionais de saúde acionaram a Polícia Militar (PM).

Contradições e confissões na delegacia

No 47º Distrito Policial (Parque São Lucas), Wenas admitiu que, após consumir cerveja, irritou-se com o choro do filho e decidiu agredi-lo para fazê-lo parar. Ele relatou que só percebeu que o bebê estava “desacordado” quando o choro cessou, momento em que chamou sua esposa, Elane Silva Ribeiro, de 21 anos, e levou a criança ao hospital. Elane afirmou à polícia que não sabia das agressões até chegar à delegacia.

Consequências legais

Wenas Sousa Morais foi preso em flagrante e o caso foi registrado como homicídio doloso qualificado contra criança menor de 14 anos. A investigação segue para apurar todos os detalhes do crime e a participação dos envolvidos.

 

 

 

 

Destaques