Consumo de nozes por gestantes auxilia no desenvolvimento cerebral da criança

10/05/2019 11:53

Publicidade

Uma pesquisa apontou que mulheres que consomem nozes nos três primeiros meses de gestação auxiliam na melhora do desenvolvimento cerebral do bebê. O trabalho foi realizado pelo Instituto de Barcelona para a Saúde Global e foi publicado no European Journal of Epidemiology. Também foram aplicados testes cognitivos em crianças de 1 ano e meio a 8 anos. O resultado mostrou que aqueles em que as mães ingeriram mais nozes  durante o primeiro trimestre de gravidez, tiveram resultados mais consideráveis em todas as avaliações da função cognitiva, atenção, memória e Q.I.

Comer cerca de 60 g por semana de nozes melhorou função cognitiva Pixabay

As nozes trazem benefícios para a criança- Foto: Pixabay

Mas, os benefícios não estão restritos somente às nozes. Entram também neste grupo outras oleaginosas, como amendoim, avelã, pinhão e amêndoa. Os benefícios à parte neurológica da criança ocorrem devido aos níveis de ácido fólico e de ácidos graxos essenciais (ômega-3 e -6). A explicação é que esses elementos têm uma tendência a se acumular no tecido neural, especialmente, em áreas do cérebro que têm influência sobre a memória.

Mas, os benefícios só são notados com o consumo médio por semana de pelo menos 60 gramas. De acordo com o estudo, essa quantidade é um pouco abaixo do aconselhado pela Sociedade Espanhola de Nutrição Comunitária.

A sugestão da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia é de que as grávidas utilizem 400 mcg de ácido fólico todo dia, ao menos um mês antes da gestação e no primeiro trimestre de gravidez. Nesse momento é o tubo neural do feto está em amplo desenvolvimento. "Isso nos faz pensar que, se as mães consumissem a média semanal recomendada, os benefícios poderiam ser muito maiores", esclareceu a pesquisadora do ISGlobal, Florence Gignac.

Atualizada às 18h10



Publicidade