Em Minas Gerais, Lula diz que Bolsonaro tem medo de ser preso se perder as eleições

Petista participou de evento na capital mineira com líderes do PT e aliados

Por Plox

10/05/2022 09h04 - Atualizado há quase 2 anos

Na noite dessa segunda-feira (9), durante discurso a apoiadores em um evento realizado em Belo Horizonte, Minas Gerais, o ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência, disse que Bolsonaro tem medo de ser preso, caso perca as eleições deste ano.

Ao comentar sobre a desconfiança dos aliados de Bolsonaro ao sistema eletrônico de votação, o petista afirmou: “Não adianta desconfiar de urna [eletrônica]. O que você [Bolsonaro] tem na verdade é medo de perder a eleição e ser preso depois”, disse Lula.

Ainda ao decorrer do discurso, Lula fez críticas ao atual presidente da República, o chamando de antidemocrático e fascista, além de classificar a eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, de erro na história do Brasil. “A vitória desse cidadão em 2018 foi um erro na história brasileira”, falou.

Foto: reprodução Youtube

 

O Palácio do Planalto não comentou as afirmações de Lula. O mesmo foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro, que não comentou as acusações do petista nas redes sociais. No entanto, Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, acusou o PT de usar a soltura de Lula como se ele estivesse inocentado das acusações. “O PT explora a soltura do Lula como se ele tivesse sido inocentado por uma turma do Supremo (3×2). Se coloca de vítima, “esquecendo-se” que foi condenado por corrupção e outros crimes em 1a, 2a e 3a instâncias em passado recente”, publicou Carlos no Twitter.

Em Minas, Lula encontra polêmica entre Alexandre Silveira ou Reginaldo Lopes: quem vai ao Senado?

A semana começa em meio aos dilemas sobre a criação de um palanque petista em Minas Gerais. O ex-prefeito da capital mineira, Belo Horizonte, Alexandre Kalil, é o pré-candidato ao governo do estado pelo Partido Social Democrático (PSD). Ele tem a promessa de receber apoio do Partido dos Trabalhadores (PT).

Entretanto, dentro de seu próprio partido, há uma ala afirmando que o PSD deve apoiar o presidente Jair Bolsonaro e trabalhar pela derrota do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Como Minas Gerais é um estado de muito peso nas decisões políticas do país, nenhum candidato quer abrir mão do voto, com gostinho de pão de queijo.

Veja o vídeo:

 

O ex-presidente Lula iniciou nesta segunda-feira (09) em Belo Horizonte sua agenda de visita em algumas cidades de Minas Gerais.O objetivo da viagem em solo mineiro é alinhar acordos entre as legendas e ajustar sua chapa com a missão de assegurar o espaço planejado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) dentro da chapa de Kalil. O PT também quer eleger o deputado federal Reginaldo Lopes (PT) ao Senado. Ele já declarou seu desejo de apoiar Kalil para o governo de Minas. Entretanto, para o Senado, o PSD já tem um nome forte dentro do partido, que é o senador Alexandre Silveira, que assumiu recentemente a vaga aberta por Antonio Anastasia, hoje no Tribunal de Contas da União.

E precisamos lembrar que para esse ano,  só existe uma vaga ao Senado. O PSD de Minas Gerais disse a Lula que o apoiará à Presidência somente se o seu candidato ao Senado for Alexandre Silveira. Kalil também tem preferência a Silveira. O Partido dos Trabalhadores (PT) tem uma decisão a tomar: definir se é mais importante, ter o PSD ajudando a eleger Lula (PT) ou optar por tentar eleger Reginaldo Lopes (PT) como senador por Minas Gerais. 

Desta forma, e por conta principalmente deste impasse de apoio aos candidatos ao Senado Federal, o Partido Social Democrático (PSD) mineiro tem uma grande decisão a tomar sobre quem irá apoiar na eleição à Presidência da República. Se o partido apoiar Jair Bolsonaro (PL), Alexandre Kalil (PSD) ficaria sem o apoio nacional do Partido. 

Destaques