Motorista indiciado por homicídio culposo em acidente com ônibus na Ponte Torta

Com base nas conclusões do inquérito, o motorista Luiz Viana de Lima, chegou a ser investigado.

Por Plox

10/05/2023 20h12 - Atualizado há cerca de 1 ano

A Polícia Civil divulgou nesta quarta-feira (10) a conclusão da investigação sobre o acidente ocorrido em 4 de dezembro de 2020, na Ponte Torta, em João Monlevade, Minas Gerais. O inquérito apurou que a queda do ônibus, que resultou na morte de 19 pessoas e deixou 27 feridos, foi causada por uma falha mecânica. Devido a esse resultado, o motorista Luiz Viana de Lima não foi indiciado.

 

Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Motorista não teve culpa penalmente relevante

A investigação foi concluída em fevereiro e, segundo a Polícia Civil, o motorista não teve culpa penalmente relevante no acidente. A causa do ocorrido foi a falha no sistema de freios do ônibus, o que acabou eximindo o condutor de responsabilidade.

Tragédia na BR-381

O ônibus, pertencente à empresa Localima Turismo, partiu da zona rural de Mata Grande, em Alagoas, e seguia em direção a São Paulo. No fatídico dia, o veículo perdeu o controle e, em marcha à ré, colidiu com a mureta de proteção, caindo em uma estrada férrea a uma altura de aproximadamente 35 metros. A suspeita inicial era de problemas nos freios.

Histórico de irregularidades

A Localima Turismo já possuía diversas autuações por transporte irregular de passageiros. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que o ônibus envolvido no acidente não estava habilitado para prestar o serviço de transporte.

Depoimento do motorista

Três dias após o acidente, Luiz Viana de Lima se apresentou à polícia e participou da reconstituição do caso. Na ocasião, ele confirmou que o sistema de freios falhou antes da queda. Além disso, o motorista relatou que o ônibus apresentou problemas mecânicos durante a viagem e passou por manutenção.

Destaques