Pesquisa desmistifica relação entre sexo espontâneo e prazer

A pesquisa também sugere que ter sentimentos mais positivos em relação ao sexo planejado pode ser protetor em relação à satisfação sexual

Por Plox

10/05/2023 12h34 - Atualizado há cerca de 1 ano

Uma recente pesquisa publicada no Journal of Sex Research, intitulada "Is Spontaneous Sex Ideal?" (O sexo espontâneo é o ideal?, em português), desafia a crença popular de que sexo espontâneo é mais prazeroso do que o sexo agendado. Coordenado pela psicoterapeuta Katarina Kovacevic, doutoranda em Psicologia Social e da Personalidade, o estudo contou com a participação de 545 norte-americanos e canadenses com mais de 18 anos, envolvidos romanticamente e sexualmente.

 

— Foto: Unsplash / Divulgação

Espontaneidade x prazer

A pesquisa revelou que a espontaneidade não gera mais desejo ou paixão do que o sexo com data e hora marcada. Os participantes também relataram que, em um relacionamento, a frequência sexual não é tão significativa. De acordo com o estudo, transar mais de uma vez por semana já está associado ao bem-estar do casal.

Segundo Kovacevic, em entrevista por e-mail à "Folha", apesar de muitas pessoas acreditarem que o sexo espontâneo é mais satisfatório, os dados coletados mostram poucas diferenças na satisfação sexual entre ambos os tipos de relação. A pesquisa também sugere que ter sentimentos mais positivos em relação ao sexo planejado pode ser protetor em relação à satisfação sexual.

Desafios e tabus

Os resultados desafiam tabus sobre a quantidade estar relacionada à qualidade do sexo, uma vez que os estudos mediram a associação entre periodicidade e grau de conforto com a situação. Kovacevic defende que a simples decisão de passar um tempo juntos sem interferência e permitindo que os corpos respondam ao toque pode levar casais de várias faixas etárias a terem experiências "incríveis", provocando um alto grau de satisfação com a vida sexual.

A pesquisa também traz uma ressalva importante quanto à definição de agendamento: não precisa ser algo rígido e inflexível e deve estar em sintonia com outros planejamentos gratificantes, como viagens de férias.

A opinião de especialistas

Teresa Avolio, psicoterapeuta brasileira especializada em terapia de casal, ressalta a importância de buscar equilíbrio e bom senso com as expectativas no âmbito do sexo. Segundo ela, a correria do dia a dia e o cansaço são as principais queixas que interferem na vida sexual dos casais.

Avolio também menciona que o fim de semana é quase sempre uma data planejada para atividades sexuais entre os casais, mas destaca que não é bom transformar a agenda em uma obrigação. A dica da profissional é marcar um "dia de namoro" na semana, um momento para fazer atividades de lazer e conversar, que geralmente culmina em sexo.

Destaques