Polícia Federal investigará esquema de manipulação de jogos no futebol brasileiro, diz ministro

Operação Penalidade Máxima revela acordos ilícitos entre jogadores e apostadores, envolvendo partidas das Séries A e B e campeonatos estaduais

Por Plox

10/05/2023 18h56 - Atualizado há cerca de 1 ano

Flávio Dino, Ministro da Justiça e Segurança Pública, declarou nesta quarta-feira (10) que a Polícia Federal (PF) investigará o esquema de manipulação de jogos estaduais e nacionais. O anúncio foi feito por meio das redes sociais.

Declaração de Flávio Dino em seu perfil no Twitter. Foto: Reprodução.

 

A Operação Penalidade Máxima, deflagrada pelo Ministério Público de Goiás (MP) em abril, trouxe à luz acordos criminosos entre jogadores e apostadores. Nesta semana, 16 pessoas se tornaram réus na Justiça, envolvidas na manipulação de resultados de 13 partidas - oito do Campeonato Brasileiro da Série A de 2022, uma da Série B de 2022 e quatro de campeonatos estaduais de 2023.

Detalhes das acusações e investigações

O MP enviou à Justiça um documento que descreve 23 fatos criminosos ocorridos durante as partidas, nos quais jogadores "se comprometeram a cometer faltas para receber cartões e a cometer pênaltis". Entre os réus, encontram-se sete jogadores e nove apostadores. O órgão também menciona jogadores que não foram denunciados, mas são investigados, como os ex-jogadores do Goiás, Dadá Belmonte e Sávio, que atualmente competem na elite do futebol brasileiro.

Dadá Belmonte, que defende as cores do América-MG, é citado pelo menos dez vezes no processo de mais de 100 páginas. "Prints mostram conversas dos investigados sobre uma aposta envolvendo o atacante e o zagueiro do Santos, Eduardo Bauermann", que foi afastado por também participar do esquema.

Destaques