Ginasta com síndrome de Down multicampeã se torna modelo

10/06/2019 10:55

Quando adolescente, ela foi pentacampeã nacional de ginástica

Publicidade

A ginasta e modelo Chelsea Werner, de 25 anos, nasceu com síndrome de Down, anomalia cromossômica que retarda o desenvolvimento fisiológico e intelectual. Chelsea foi introduzida na ginástica artística aos quatro anos de idade, demonstrando notáveis habilidades no esporte. Quando adolescente, ela foi pentacampeã nacional de ginástica.

A ginasta nasceu na vila de Danville, no estado americano da Califórnia e, foi recrutada como modelo pela We Speak, uma agência internacional de moda que incentiva as pessoas a amarem e valorizarem seus corpos tal qual eles são. A respeito de sua representatividade, Chelsea diz: “Não acho que as pessoas com síndrome de Down sejam representadas o suficiente. Quanto mais somos representados, mais as pessoas verão como somos capazes”.

(Foto: reprodução)

(Foto: reprodução)

A ginasta venceu o tradicional campeonato de ginástica Special Olympics cinco vezes nos EUA, além de garantir duas medalhas de ouro na competição Defending World Champion. E diz ter ganho bastante confiança nesses torneios, apresentando resiliência pessoal. 

A ginasta diz: “Eu faço ginástica há tanto tempo quanto consigo me lembrar”“Sinto que sempre fez parte da minha vida, acho que a ginástica me treinou para ser disciplinada e trabalhar duro. Na ginástica, cada nova habilidade leva muito tempo – às vezes anos! Acho que isso me deu confiança.”

Ao relatar as vezes que tentou ingressar em uma agência de moda para trabalhar, ela relembra ter sido recusada. A razão, subentendida, era sempre a mesma: pessoas com síndrome de Down não têm espaço na moda.Chelsea contou com a ajuda dos pais, Lisa e Ray Werner, que acreditavam na beleza e capacidade da filha, para continuar tentando. Foi então que a We Speak encontrou a ginasta no final de 2017, pelas redes sociais, e a convidou para trabalhar na agência, onde ela está até hoje.

(Foto: divulgação)(Foto: divulgação)

Em entrevista ao site A-Plus, a CEO e fundadora da We Speak, Briauna Mariah, revelou o quão impressionada ficou com as habilidades da jovem. “Eu vi o potencial da Chelsea de prosperar nessa indústria e imediatamente estendi a mão. É importante que as mulheres se sintam representadas na indústria.”

Ao largar o solo e os aparelhos, Chelsea mergulhou de cabeça nas passarelas dos desfiles de moda e espera que sua carreira de modelo sirva de inspiração à outras mulheres, afinal, "todo mundo é bonito à sua maneira".



Publicidade