Ex-conselheiro de Justiça diz que conversas de Moro "indicariam parcialidade"

10/06/2019 08:47

Ele e Deltan Dellagnol estariam combinando atuações enquanto trabalharam na Lava-Jato, segundo site

Publicidade

Caso seja confirmada a autenticidade das conversas atribuídas ao procurador do Ministério Público Federal (MPF) Deltan Dallagnol e o ministro Sérgio Moro, quando era juiz federal no âmbito da operação Lava-Jato, Moro pode ter problemas em permanecer no cargo do governo, conforme Marcelo Nobre, ex-membro do Conselho Nacional de justiça. É que um site atribuiu mensagens que seriam de Moro e Dellagnol, em que supostamente eles estariam combinando atuações enquanto trabalharam na operação Lava-Jato. As informações, se confirmadas, indicariam conforme Nobre, parcialidade na  condução da Lava-jato, o que para ele, é algo de gravidade. No entanto, o ex-conselheiro pondera: “É preciso que os dois tenham direito à defesa e se expliquem à sociedade brasileira”, disse. 

Moro- Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Sérgio Moro teve o celular invadido na última semana- Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Conrado Gontijo, doutor em direito penal pela Universidade de São Paulo (USP), disse que, caso as mensagens sejam autênticas, o fato ferirá as garantias fundamentais. “Se houve este tipo de comunhão entre o Poder Judiciário e o Ministério Público é uma violência ao estado democrático de direito”.

Posicionamento de Sérgio Moro
O ministro Moro disse, em comunicado, que lamenta a invasão aos aparelhos celulares de ambos, comentando “a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo”, afirmou.

Defesa de Lula
Luiz Inácio ‘Lula’ da Silva, ex-presidente, recebeu a condenação na operação Lava-Jato, sendo preso em abril do ano passado. Os advogados do político disseram que a prisão dele violou o estado democrático de direito, alegando que “os processos contra o ex-presidente Lula estão corrompidos pelo que há de mais grave em termos de violações a garantias fundamentais e à negativa de direitos”.

>>> Saiba mais do caso: Site publica mensagens atribuídas a Moro e à força-tarefa da Lava Jato

Atualização: 23h09 de 12/06/2019
 



Publicidade