PM e Receita Estadual cumprem mandados de busca e apreensão em comércios no Centro de Ipatinga

10/06/2019 12:45

O objetivo da ação é fiscalizar estabelecimentos comerciais que trabalham com a venda de aparelhos celulares e se os produtos possuem alguma queixa de roubo ou furto

Publicidade

Uma operação entre a Polícia Militar e a Receita Estadual está sendo realizada, nesta segunda-feira (10), em alguns comércios na área central de Ipatinga, no Vale do Aço. O objetivo da ação é fiscalizar estabelecimentos comerciais que trabalham com a venda de aparelhos celulares e se os produtos possuem alguma queixa de roubo ou furto. Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos.

De acordo com o capitão Johnson, se for constatado algum dos crimes mencionados, o proprietário pode responder por receptação e, consequentemente, os materiais serão apreendidos. O capitão ainda pontuou que estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em sete comércios. “Aqueles estabelecimentos que houverem indicativos dessa prática -  sendo feita a denúncia anônima -  os policiais militares vão verificar estes estabelecimentos e se perceberem a inclinação para o comércio ilícitos desses aparelhos, eles [lojas comerciais] serão alvos da nossa operação”, explica.

pm-5Capitão Johnson explica sobre a operação (Foto: Miguel Bráz)

“Mais de 800 aparelhos celulares foram verificados; um terço já foi analisado, até o momento, mas não foi constatado nenhum registro de furto ou roubo. Mas, se ao longo da operação for constatado algum desses crimes, nós vamos tomar as providências cabíveis”, afirma o capitão.

pm
Segundo a PM, sete comércios estão sendo investigados (Foto: Miguel Bráz)

O policial ainda explica que os lojistas que recebem os aparelhos e não têm o cuidado de verificar se os eletrônicos que adquirem ou até mesmo recebem para conserto são produtos de furto ou roubo, acabam colaborando para a prática ilícita.

O coordenador de Planejamento da Receita Estadual, Alex Campos de Souza, ressalta que a participação da Secretaria de Fazenda na operação é muito importante. “A atuação da secretaria é fundamental para verificar a regularidade cadastral dos estabelecimentos e também a procedência das mercadorias se são adquiridas com notas fiscais, se os tributos são pagos regularmente e de modo geral, combater a sonegação fiscal”, sintetiza.

O coordenador ainda contestou que foi apurado de mais de uma empresa, em um mesmo local e disse que a empresa, que não existe de fato, será suspensa e as providências administrativas serão tomadas em relação às empresas irregulares.

pm-3Coordenador de Planejamento da Receita Estadual, Alex Campos de Souza (Foto: Miguel Bráz)

Conforme Alex, a princípio, houve constatação de comércios que venderam aparelhos sem a nota fiscal. “A gente solicitou nos estabelecimentos a apresentação da nota fiscal de entrada comprovando a origem dos produtos e algumas não apresentaram o documento”. 

pm-1(Foto: Miguel Bráz)

pm-2(Foto: Miguel Bráz)



Publicidade