Ipatinga

atitude

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Gincana “Mexa-se contra o mosquito” já tirou mais 220 mil recicláveis das ruas de Fabriciano

    Professores e alunos do Mexa-se, programa de promoção da saúde, “arregaçaram as mangas” e partiram para ação no combate ao Aedes aegypti

    Por Plox

    10/06/2022 14h04 - Atualizado há 16 dias

    Todos já sabem os cuidados para prevenir a dengue, zika e chikungunya. Basta eliminar ou manter secos objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o Aedes aegypti, mosquito transmissor das arboviroses. No entanto, muita gente ainda “esquece por aí” pneus, latas, garrafas PETS, recipientes, dificultando o combate ao mosquito e a prevenção das arboviroses.

    Mas, a Prefeitura de Coronel Fabriciano encontrou uma maneira divertida de conscientizar e envolver a população nessa tarefa.

    Foto: Divulgação PMCF

     

    Professores e alunos do Mexa-se, programa de promoção da saúde, “arregaçaram as mangas” e partiram para ação no combate ao Aedes aegypti em seus bairros. Todos os 16 polos do programa estão envolvidos na 2ª Gincana Mexa-se contra o Mosquito.

    Em pouco mais de 30 dias, a iniciativa já retirou mais de 220 mil inservíveis das ruas, quintais e lotes vagos de Fabriciano.

    “Estamos surpresos com o grande volume de material recolhido. No entanto, o mais importante é a conscientização que a população está tomando a partir deste trabalho. Quando as pessoas se envolvem, elas conseguem perceber a importância de sanear o ambiente para que nenhum tipo de doença venha ocorrer com a comunidade”, avalia o Educador de Saúde, Walter da Silveira Gonçalves.

    Foto: Divulgação PMCF

     

    Uma equipe de servidores dos setores de Endemias e Limpeza Urbana do município cuida da contagem e do recolhimento. Tudo é anotado e pontuado para a equipe responsável pela arrecadação dos materiais. Esta é a segunda edição da Gincana Mexa-se contra o Mosquito. A primeira foi em 2019, quando foram recolhidas mais de quatro mil toneladas de inservíveis.

    COMO AJUDAR NA GINCANA

    A Gincana vai até o dia 15 de julho, quando será conhecida a equipe que mais se empenhou nas tarefas. Dentre elas, a coleta de inservíveis que segue até o final deste mês. Até lá, toda a população pode e deve colaborar. Basta separar os recicláveis, ensacar e combinar a entrega com os professores e alunos nos polos do programa.

    Foto: Divulgação PMCF

     

    “Estamos conseguindo mobilizar os alunos, familiares, a cidade inteira. E já conseguimos retirar das ruas um volume importante de inservíveis, que aumenta a cada dia. Além de dar novo uso, como os pneus, que podem ser usados para contenção de encostas, boa parte vai para reciclagem, ajudando o meio ambiente e a economia”, comenta a coordenadora do Mexa-se, Renata Cotta.

    Nesta edição, a Gincana vai premiar o pólo melhor colocado com dois ônibus para viagem dos alunos à Guarapari (ES). Do 2º ao 6º lugar, os polos receberão kits esportivos para incrementar as atividades realizadas.

    TODOS CONTRA O MOSQUITO

    Elaborada em parceria com a Secretaria de Governança da Saúde, por meio da Vigilância em Saúde e o Programa Mexa-se, a Gincana tem o objetivo de mobilizar as pessoas no combate as arboviroses diariamente e promover a interação da comunidade nas ações por meio de atividades esportivas e também de cidadania.

    A Gincana Mexa-se contra o mosquito também enfatiza que a responsabilidade de cada um, somada ao coletivo, faz toda a diferença no combate ao Aedes e prevenção das arboviroses. Um bom exemplo é a Luísa Lourenço de Souza, aluna do polo do Santa Terezinha. Logo no início da gincana, em maio, seu neto chegou a ser internado por causa da dengue. Hoje, ela segue ainda mais ativa na tarefa de recolher inservíveis e conscientizar a vizinhança.

    “Esta gincana trouxe algo diferente. Porque conseguimos impactar primeiro a família, depois a vizinhança e assim por diante. Sei que sou só um ‘grãozinho de areia’, mas ao fazer a minha parte, sinto que posso fazer a diferença. Hoje, tenho o hábito de sair de casa com uma ‘sacolinha’ na bolsa e recolher os inservíveis que encontro pelo caminho”, relata Luísa Lourenço.

    O último LIRAa apurado em maio foi de 1,7%. No começo do ano, a medição de infestação foi de 3,2%. O preconizado pelo Ministério da Saúde como ideal é de 1%. Ou seja, a gestão municipal tem feito sua parte para manter a situação epidemiológica estável e os casos de arboviroses sob controle. Mas vale ressaltar que nos LIRAa realizados, sempre apontam que mais de 70% dos focos do mosquito são encontrados dentro de casas, cuja responsabilidade é do morador.

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]