Uma das indicações para o STF será de ministro "terrivelmente evangélico", afirma Bolsonaro

10/07/2019 11:59

Bolsonaro terá direito a sugerir dois ministros para a Corte

Publicidade

Na manhã desta quarta-feira, 10 de julho, o presidente Jair Bolsonaro participou de uma sessão na Câmara dos Deputados e parafraseou a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves ao falar sobre uma de suas indicações para vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). 

Bolsonaro

Bolsonaro terá direito a sugerir dois ministros para a Corte Foto: Agência Brasil

Bolsonaro terá direito a sugerir dois ministros para a Corte e o presidente se comprometeu, dizendo que “um deles será terrivelmente evangélico”. A afirmativa foi recebeu aplausos dos presentes. Com a possibilidade de aposentadorias compulsórias dos ministros Celso de Mello, em 2020, e Marco Aurélio Mello, 2021, o presidente terá duas indicações, até o fechamento de seu mandato, em 2022. Não é segredo que um dos nomes considerados por Bolsonaro é Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública.

Mais tarde, ainda na sessão, o presidente reforçou sua declaração, afirmando que "muitos tentam nos deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares, nós somos terrivelmente cristãos”. Para Bolsonaro, “esse espírito deve estar presente em todos os poderes” e ele reafirmou: “Por isso, o meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Um deles será terrivelmente evangélico”. O mandatário disse ainda que é somente um instrumento usado por Deus. Ele é católico, mas sempre se mostrou simpático ao povo evangélico. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, professa a religião evangélica. O encontro na Câmara foi promovido pela Igreja Universal, em comemoração aos seus 42 anos, que programou um culto e uma sessão solene.

Atualizada às 13h49



Publicidade