Inflação oficial fica em 0,01% em junho, a menor taxa do ano segundo o IBGE

10/07/2019 10:12

Alimentos, bebidas e transportes registraram deflação no mês

Publicidade

Nesta quarta-feira (10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,01% em junho, considerado a inflação oficial do país como a menor taxa em 2019.

O recuo dos preços dos grupos “Alimentação, bebidas” e “Transportes”, juntos, respondem por cerca de 43% das despesas das famílias e apresentaram deflação de 0,25% e 0,31%, garantiram a inflação perto de zero em junho.

A queda nos preços dos combustíveis gerou a deflação nos transportes, em particular, da gasolina, que recuou 2,04%. Óleo diesel e etanol também ficaram mais baratos, com deflação de -0,83% e -5,08%. Dentre os alimentos, as maiores quedas foram nos preços de frutas (-6,14%) e feijão-carioca (-14,80%).

Entretanto, o grupo "Saúde e cuidados pessoais" foi o "vilão" do mês, responsável pela maior variação e o maior impacto (0,64% e 0,08 p.p.) sobre o IPCA.

Para este ano, a meta central de inflação é de 4,25%, sendo que o intervalo de tolerância varia de 2,75% a 5,75%. O Conselho Monetário Nacional (CMN) é quem fixa a meta. Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic), que está estacionada há mais de um ano em 6,5%.

Na próxima reunião com do Copom, têm crescido as apostas de um corte na taxa básica de juros com a desaceleração da inflação e a economia estagnada, que acontece no final de julho. 

De acordo com os analistas do mercado financeiro, estima-se uma Selic de encerrar o ano em 5,50%.



Publicidade