Derretimento do gelo do mar ártico pode antecipar catástrofe climática, diz estudo

O renomado jornal The New York Times destacou que o gelo flutuante que cobre o Mar Ártico pode desaparecer completamente já na década de 2030

Por Plox

10/07/2023 08h39 - Atualizado há cerca de 1 ano

No mês passado, um estudo revelador foi publicado na revista Nature Communications, alertando que a região do Mar Ártico pode estar diante de um futuro climático desolador mais cedo do que os cientistas originalmente estimavam.

O renomado jornal The New York Times destacou que o gelo flutuante que cobre o Mar Ártico pode desaparecer completamente já na década de 2030. Projeções anteriores, que agora parecem otimistas, indicavam que tal cenário não se concretizaria antes de 2050.

Foto: reprodução Pexels

 

Impacto no Ciclo do Gelo Marinho

A pesquisa ressalta que os danos podem se tornar irreversíveis mesmo se o planeta conseguir cumprir as metas estabelecidas para desacelerar o aquecimento global. Isso ocorre devido a uma mudança perturbadora no ciclo anual do gelo marinho, como explicado pela CNN.

Normalmente, o gelo se acumula no Mar Ártico durante o inverno do Hemisfério Norte e derrete parcialmente no verão. Contudo, com a incidência de verões cada vez mais quentes, o gelo está derretendo de maneira acentuada e, durante os meses mais frios, a água demora mais para se solidificar novamente, impactando o ciclo de formação do gelo marinho.

A questão, conforme exposto pelo The Guardian, é que cerca de 90% do degelo no Ártico é causado por mudanças climáticas de origem humana. A preparação para o aumento das temperaturas no Hemisfério Norte nas próximas décadas é, portanto, crucial.

Para sustentar essas afirmações, o estudo empregou dados de satélite coletados desde 1979, demonstrando uma redução significativa de 13% no gelo do Ártico durante o verão em uma única década.

Consequências Globais do Degelo Acelerado

O The New York Times salienta que a diminuição da quantidade de gelo marinho no Ártico acarretará um aumento de temperatura ainda mais rápido. O motivo é que o gelo marinho, com sua coloração branca, desvia a radiação solar, enquanto o oceano, com tonalidades mais escuras, absorve calor - uma informação corroborada pela CNN.

As ramificações desse derretimento acelerado do gelo marinho vão além do Polo Norte. As mudanças também ameaçam a camada de gelo da Groenlândia, provocando um aumento no nível do mar globalmente.

O aumento do nível da água do mar carrega consigo implicações sociais, econômicas e políticas de grande magnitude. Com milhares de quilômetros de costa sob a ameaça de inundações, a segurança de milhões de pessoas ao redor do mundo pode ser comprometida.

Destaques