Música e crime: empresário de estrelas do pop detido por operações criminosas

O empresário também atuava como gerente operacional de um grupo de tráfico de drogas e praticava um monopólio coercitivo sobre a venda de botijões de gás na cidade

Por Plox

10/07/2023 12h46 - Atualizado há cerca de 1 ano

Neste domingo (9), Sydney de Oliveira Bastos Júnior, CEO da Rio 021 Records e empresário conhecido por gerir a carreira de artistas populares, foi preso em Bocaína de Minas, na divisa entre os estados de Rio de Janeiro e Minas Gerais. Sydney, que era residente na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, estava em fuga da justiça desde 28 de junho.

 

Sydney de Oliveira Bastos Júnior — Foto: Reprodução

Operações Ilícitas Ameaçam Empreendimentos Locais

Sydney é acusado de orquestrar uma organização criminosa responsável por extorsão e agiotagem na cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. De acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), o empresário também atuava como gerente operacional de um grupo de tráfico de drogas e praticava um monopólio coercitivo sobre a venda de botijões de gás na cidade.

A investigação revelou que pequenos comerciantes eram forçados a comprar gás da organização e a seguir uma política de preços estabelecida pelo grupo. Aqueles que não aderiam enfrentavam a destruição de seus veículos e até ameaças de morte. Segundo informações do MPRS, alguns empresários locais foram obrigados a abandonar seus negócios por medo de represálias de Sydney e seu grupo.

Modelo Presa e Apreensões Significativas

Daniela Simon, modelo e esposa de Sydney, também foi detida durante a operação. A investigação sugere que Simon estava envolvida no esquema criminoso dirigido por seu marido. Na operação de prisão, as autoridades apreenderam uma quantidade significativa de dinheiro em reais e dólares, além de joias, computadores e passagens aéreas.

Daniela Simon — Foto: Reprodução

Tráfico de Drogas Financia Empresa de Agenciamento Musical

A investigação também indicou que o lucro advindo das atividades ilegais, incluindo tráfico de drogas e extorsão, era usado para financiar a Rio 021 Records, a empresa de agenciamento musical de Sydney. Entre os artistas agenciados pela empresa, destacam-se Mc Melody e Mc Bruninho. Aparentemente, Sydney visitava frequentemente o Rio Grande do Sul, onde dava instruções para as atividades da organização, tanto pessoalmente quanto por telefone.

Custódia e Acusações

Após a prisão, Sydney e Daniela foram levados para a delegacia de Resende. Em breve, serão conduzidos a Volta Redonda, no sul do Rio, para a audiência de custódia. As acusações contra eles incluem organização criminosa, extorsão, prática de cartel e agiotagem.

Destaques