Pedido de delivery salva vítima de violência em Curitiba

Mulher escreve mensagem pedindo socorro em aplicativo; atendente aciona polícia e agressor é preso em flagrante

Por Plox

10/07/2024 18h34 - Atualizado há 11 dias

Um caso de violência em Curitiba teve um desfecho inesperado na segunda-feira (8), quando uma mulher conseguiu pedir socorro por meio de um aplicativo de delivery. Durante o pedido, ela escreveu na descrição: "Me ajuda, manda a polícia para esse endereço. Fui estuprada e violentada." A mensagem foi recebida por uma atendente da lanchonete, que imediatamente contatou a Polícia Militar.

Atendente troca mensagens com vítima

A funcionária, identificada como Ariane da Paz, relatou à TV Record que manteve contato com a vítima através do aplicativo e com os policiais por telefone até a chegada da equipe no local. Usando códigos, Ariane enviou mensagens para garantir a segurança da vítima, como "seu pedido já está aí na frente. Consegue atender?", alertando-a sobre a presença da polícia.

Prisão em flagrante

Os policiais chegaram rapidamente e prenderam o agressor em flagrante, conduzindo-o à delegacia. A delegada Emanuele Siqueira, da DM de Curitiba, confirmou que o homem recebeu voz de prisão na delegacia.

Assistência à vítima

A vítima foi levada ao hospital, passou por exames médicos e recebeu alta logo em seguida. Atualmente, ela está em um abrigo junto com sua filha, que está em boas condições de saúde. A Polícia Civil já ouviu o depoimento da vítima.

em caso de violência, denuncie

Casos de violência contra mulheres podem ser denunciados pelo número 190. A Lei Maria da Penha protege as mulheres de agressões cometidas por parceiros, ex-companheiros e também por familiares. Denúncias também podem ser feitas pelo número 180 (Central de Atendimento à Mulher) e pelo Disque 100, que investiga violações dos direitos humanos.

Destaques