Primeira morte mundial por gripe aviária H3N8 registrada na China, afirma OMS

H3N8 foi identificado pela primeira vez na América do Norte e, até recentemente, acreditava-se que afetasse apenas cavalos, cães e leões marinhos.

Por Plox

11/04/2023 23h04 - Atualizado há cerca de 1 ano

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou na terça-feira (11) que uma mulher de 56 anos faleceu na China, vítima da gripe aviária H3N8. O vírus, que circula desde 2002, não havia causado mortes humanas até então. O H3N8 foi identificado pela primeira vez na América do Norte e, até recentemente, acreditava-se que afetasse apenas cavalos, cães e leões marinhos.

Detalhes do caso

A vítima, residente da província chinesa de Guangdong, adoeceu em 22 de fevereiro e foi internada com pneumonia grave em 3 de março, vindo a falecer no dia 16 do mesmo mês. De acordo com a OMS, a paciente possuía "múltiplas condições subjacentes" e tinha histórico de exposição a aves vivas de criação antes do início da doença, além de relatos de aves selvagens nas proximidades de sua residência.

Investigação e riscos

A OMS aponta que a contaminação pode ter ocorrido em um mercado de aves, mas ressalta que "a fonte exata da infecção ainda deve ser determinada, assim como a relação entre este vírus e outras gripes aviárias do tipo A (H3N8) que circulam no ambiente animal". A organização afirma que, até o momento, nenhum dos contatos próximos da paciente desenvolveu infecção ou sintomas da doença.

Transmissão entre humanos considerada baixa

Segundo a OMS, os dados disponíveis indicam que o vírus H3N8 não é transmitido entre humanos, e o risco de propagação em níveis nacional, regional e mundial é considerado baixo. No entanto, a organização enfatiza a importância de monitorar o vírus devido às constantes mutações.

 

Destaques