Três promotoras cuidarão do caso Neymar; jogador irá depor na próxima quinta

11/06/2019 15:58

Todas elas têm atuação na área de enfrentamento à violência contra a mulher

Publicidade

Acusado de estupro pela modelo Najila Trindade, o atacante Neymar terá o caso envolvendo seu nome acompanhado por três promotoras de Justiça. A identificação das profissionais foi informado hoje, 11 de junho, pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP), que as indicou para apurarem o caso.  

MP-SP designou três promotoras para cuidar do caso Neymar Foto: LUCAS LANDAU / REUTERS

Neymar irá depor na próxima quinta-feira, 13- Foto: Reprodução


São elas: Katia Peixoto Vilani Pinheiros Rodrigues, Estefânia Ferrazzini Paulin e Flávia Cristina Merlini, todas com atuação na área de enfrentamento à violência contra a mulher. Como acusado, Neymar terá que comparecer à 6ª Delegacia de Direitos da Mulher, em São Paulo, para seu depoimento. Ele vai depor na próxima quinta-feira, 13.

Devido à movimentação e até tumulto que o local pode ter e para dar segurança ao jogador, um esquema especial está programado, com a presença do Grupo de Operações Especiais da polícia na delegacia. Ontem, seguranças dele foram ao local para verificar a estrutura.


Quando o craque esteva na delegacia de Repressão aos Crimes de Informática houve grande movimentação. A delegacia está responsável pelas apurações da publicação das imagens de Najila em ambiente digital. No entendimento do professor de Direito Digital, Luiz Augusto D'Urso, pelo fato do jogador ter desfocado as imagens ao divulgá-las, não se classificou como nudez pelo Código Penal, além de Neymar ter publicado a gravação tentando se defender. Mesmo que em algumas partes do vídeo apareça o nome da mulher, não é um delito, pois nesse crime "é indiferente estar presente ou não o nome”. 

Atualização: 16h59



Publicidade