José de Abreu terá que pagar R$ 20 mil a hospital por disseminar fake news

11/07/2019 11:34

A instituição o processou após o ator acusá-la de arquitetar facada em Bolsonaro, então candidato

Publicidade

O ator José de Abreu foi condenado a pagar R$ 20 mil ao Hospital Albert Einstein. O motivo é que ele andou disseminando fake news sobre a instituição e acabou sendo processado. O que ocasionou a ação judicial foi uma declaração que o ator postou em suas redes sociais, acusando o hospital de armar o episódio da facada em que Jair Bolsonaro foi vítima em setembro passado, quando fazia campanha em Juiz de Fora (MG). Naquela ocasião, Abreu postou, relacionamento o hospital ao Mossad, que é o serviço secreto israelense: “Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad, com apoio do Hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM israelense, o matador e corrupto Bibi (Benjamin  Netanyahu). A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar merda”, escreveu o ator.

José de Abreu

Hospital processou José de Abreu- Foto: Fiesp/Reprodução/Montagem PLOX

Vaquinha virtual
O valor de R$ 20 mil foi levantado por fãs do ator global, que criaram o “Ninguém solta a mão do Zé de Abreu”, um financiamento coletivo (vaquinha virtual) com o objetivo de conseguir as doações em dinheiro para pagar a instituição hospitalar. O valor foi superado, mas até outubro a vaquinha estará disponível para doações, onde o artista “pagará o hospital e o excedente juntamente com mais R$ 20 mil doará para instituições que cuidam de crianças e idosos”.

Mais polêmicas
Sempre envolvido em polêmicas, o ator protagonizou uma injúria contra a novelista Gloria Perez na última semana. Ele criticou a autora por apoiar o presidente Jair Bolsonaro e chegou a citar Guilherme de Pádua, assassino confesso da filha dela, Daniela Perez, em 1992. Abreu postou nas redes sociais: "O Brasil está tão doido que vemos Guilherme de Pádua e Gloria Perez apoiando o mesmo espectro político. Que tempos”. Diante disso, a autora respondeu: "Você é muito canalha! Não vou revidar lembrando sua tragédia pessoal. É block e mais nada", disse antes de bloquear o ator.

Luis Ernesto Lacombe também se posicionou diante das atitudes do global e o criticou: “Eu não consigo entender os dois pesos e medidas de uma pessoa que não tem ideia do convívio entre o contraditório de pessoas que têm opiniões diferentes da dele. Uma pessoa intratável que se chega a esse nível de citar o assassino da filha da Gloria Perez é algo tão doentio, tão absurdo”, disse Lacombe, que agora está na Band. Em 2016, Abreu chegou a cuspir em uma mulher que estava com o companheiro em um restaurante, após ser insultado. A mulher dizia que o dinheiro do ator “era de roubo, de lei Rounet” e os “xingava de safados”.

Atualizada às 11h50


 



Publicidade