Mec prevê 1, 7 milhão de crianças em creches até 2020, e finalizar 4, 9 mil unidades até 2022

11/07/2019 12:15

Informação foi fornecida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, nesta manhã

Publicidade

O governo federal está com uma meta ousada de até o final de 2020 inserir 1,7 milhão de crianças em creches, com a finalidade de promover a universalização da pré-escola. A informação foi fornecida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, na manhã desta quinta-feira, 11 de julho. 

MEC quer universalizar pré-escola no país Mariana Londres/R7

Ministro e secretário de Educação apresentaram metas para a área até 2022- Foto: Reprodução

O objetivo de alcançar este número faz parte do ‘Compromisso Nacional pela Educação Básica’, que traça metas para o ensino básico até 2022. O documento foi apresentado por ele e por Jânio Macedo, secretário de Educação Básica, e servirá como um plano para as políticas da Educação. 

Nesta manhã, Weintraub projetou: “Vamos cumprir as metas e a mais óbvia é a universalização da pré-escola, o que é um absurdo não estar universalizada, e chegar a 50% das crianças na creche. É botar nas creches 1,7 milhão de crianças e acredito que seja possível já no ano que vem”. Segundo o ministro, em uma audiência na Câmara dos Deputados no começo deste ano, o foco da pasta é o ensino básico, já que “cinquenta por cento das nossas crianças passam pelo ensino fundamental sem aprender a ler, escrever e fazer conta”, afirmou, na ocasião. Conforme o chefe da pasta, nesta quinta-feira, a estimativa é de que sejam finalizadas as obras de 4, 9 mil creches até os próximos três anos, em 2022. No momento, as obras finalizadas não chegam nem a 50%. Isso só será possível com a expansão do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição para a rede pública de Educação Infantil (Proinfância). 

Uma meta geral para os próximos 12 anos também foi apresentada pelo ministro e pelo secretário nesta manhã. Dentre elas, estão inseridos os ensinos Fundamental, Médio e Técnico. Um dos pontos está a formação de professores da educação básica em ensino a distância e a implantação de 108 escolas militares, no modelo compartilhado (entre professores e militares) até 2023, seguindo uma estimativa de 27 por ano, ou seja, uma em cada estado do país.

Atualizada às 13h31



Publicidade