PDT estuda expulsar Tábata Amaral por voto favorável à reforma: "É por convicção", diz deputada

11/07/2019 12:56

Discussão sobre punição aos parlamentares iniciará na semana que vem

Publicidade

Oito deputados federais foram na contramão do que orientou o PDT de votarem contra o texto-base da reforma da Previdência. A votação aconteceu nessa quarta-feira, 10 de julho, na sessão de primeiro turno. No total, 27 parlamentares compõem a sigla no Parlamento, deles, oito devem ser punidos pelo partido, que pretende abrir processo interno na Comissão de Ética do PDT. Entre eles, estava Tábata Amaral que foi aquém do que foi aprovado no diretório nacional do partido (votar contra a reforma). A decisão deve ser tomada a partir de semana que vem, com enquadramentos que podem ir de advertência, a suspensão e expulsão.

Tabata Amaral foi elogiada pelo Movimento Brasil Live (MBL) - Reprodução Facebook

Tábata Amaral disse que seu voto foi por convicção- Foto: Reprodução/Facebook

No Twitter, Tábata publicou um vídeo, explicando o que a levou a votar pelo sim à mudança na previdência, afirmando que não foi comprada para se posicionar: “Meu voto pela Reforma da Previdência não foi vendido, é por convicção. A bancada da educação continua lutando pela manutenção da aposentadoria especial dos professores”, afirmou.

Apesar de indicar o banimento dos oitos parlamentares, dizendo que "quem quiser o lado dos banqueiros, que vá para o lado de lá", o presidente da sigla do PDT, Carlos Lupi, amenizou e disse que muitos parlamentares querem mesmo que o partido tome a atitude de expulsar, mas que o partido não pode “ser ingênuos de atender o objetivo de um deputado de votar contra o partido. Ao mesmo tempo, não podemos ficar com gente que não vota com a orientação partidária. Ele continuou: “Mas também não podemos perder o mandato. Esse é o desafio da Comissão de Ética”, ponderou. Grande parte dos integrantes da sigla se posicionaram favoravelmente à expulsão daqueles que disseram sim à reforma previdenciária, como Ciro Gomes, vice-presidente do PDT e ex-candidato à presidência, afirmando em rede social que devem ser banidos os "que votarem contra o povo nesta reforma elitista".

Atualizada às 15h02



Publicidade