Ipatinga

saúde

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Covid-19: Minas Gerais articula estrutura para transporte de vacinas

    Na reunião, o Ministério da Saúde apresentou uma versão preliminar do Plano para a Vacinação contra o Covid-19 no Brasil

    Por Plox

    11/12/2020 14h04 - Atualizado há mais de 1 ano

    A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) participou de reunião com o Programa Nacional de Imunização (PNI) nessa quinta-feira (10/12). Um dos temas abordados foi o processo de distribuição da vacina de covid-19, que envolve desde o transporte aos municípios, o acondicionamento adequado das vacinas e a administração correta nas unidades de Saúde.

    Na reunião, o Ministério da Saúde apresentou uma versão preliminar do Plano para a Vacinação contra o Covid-19 no Brasil, que terá como foco vacinar os grupos prioritários, com maior risco de desenvolver complicações e óbitos pela doença, e as populações com maior exposição e transmissão do vírus. Participaram do encontro os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

    Vacina segura

    A infraestrutura da Central Estadual da Rede de Frio da SES-MG já está preparada para acondicionar as doses de vacinas de covid-19 recebidas pelo Ministério da Saúde. A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações da pasta, Josianne Dias Gusmão, alerta que o calor pode prejudicar as propriedades imunizantes do medicamento e que, durante todo o transporte e manuseio das vacinas, é preciso assegurar que ela não passe por variação de temperatura.

    “Nosso desafio é garantir que as vacinas mantenham suas características iniciais, a fim de conferir imunidade, pois são produtos que se deterioram depois de determinado tempo quando expostos a variações de temperaturas inadequadas à sua conservação”, pontua Gusmão.

    Em seguida, as vacinas são transportadas para as 28 Regionais de Saúde e distribuídas para os municípios de abrangência de cada uma delas. “Toda essa operação é complexa, são 853 municípios que precisam receber a vacina com segurança. É necessário manter os medicamentos constantemente refrigerados, utilizando instalações e equipamentos adequados, até o momento da aplicação. Um manuseio inadequado, um equipamento com defeito, ou falta de energia podem interromper o processo de refrigeração, comprometendo a potência e eficácia da vacina”, reforça a coordenadora.

    Para assegurar a qualidade das vacinas durante todo o trajeto até as salas de vacinação, a SES-MG adquiriu dois ultras freezers, com capacidade de refrigeração de 80 graus negativos a 56 graus negativos, e mais de 700 câmaras refrigeradas para serem entregues aos municípios. A secretaria também já comprou 50 milhões de seringas e agulhas para que não faltem insumos para a imunização da população.

     

    Com informações da Agência Minas

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]