Cirurgião plástico no Rio é preso após morte de três pacientes

investigações apontam para complicações fatais em procedimentos cirúrgicos

Por Plox

12/01/2024 07h32 - Atualizado há 5 meses

Heriberto Ivan Arias Camacho, um cirurgião plástico, foi preso nesta quinta-feira (11) em sua residência na Freguesia, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A detenção ocorre após a morte de Lindama Benjamin de Oliveira, 59 anos, que passou por uma lipoaspiração realizada por ele em março do ano passado. Horas após a cirurgia, Lindama faleceu devido a complicações.

Detalhes do Incidente e Ações Judiciais

O atestado de óbito de Lindama, residente de Cabo Frio, apontou uma perfuração no intestino seguida de hemorragia como causa da morte. O procedimento, que custou R$ 16 mil, foi realizado no Hospital Bitée Cirurgia Plástica e Estética, na Barra da Tijuca. A juíza Tula Correa de Mello, da 3ª Vara Criminal da Capital, ao decretar a prisão preventiva de Heriberto, mencionou que ele assumiu o risco de matar a paciente durante o exercício de sua profissão.

Outras Investigação e Reações da Defesa

Heriberto Ivan já enfrenta outras investigações, inclusive relacionadas a óbitos e processos de indenizações. Jairo Magalhães Pereira, advogado assistente da acusação e representante da família de Lindama, expressou satisfação com a prisão, considerando-a um passo importante para garantir a justiça. A defesa do médico tem 10 dias para apresentar provas e testemunhas. O Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj) ainda não respondeu à solicitação de suspender o registro médico de Heriberto, que permanece ativo no site do Conselho.

Posicionamento da Defesa do Médico

A defesa de Heriberto, conduzida pelo advogado Alessandro Marcos, argumenta a inocência do médico, classificando o incidente como uma fatalidade e ressaltando a necessidade de um laudo complementar sobre a morte de Lindama. As investigações continuam, enquanto a defesa e o Cremerj são contatados para mais informações.


 

Destaques