Homem com ereção de dois dias tem pênis amputado na Índia

12/04/2019 08:14

O sangue do pênis do paciente chegou a ser drenado, mas o homem retornou ao hospital, devido à coloração preta do membro

Publicidade

Após ter uma ereção durante 48 horas, um homem de 52 anos precisou ter o pênis parcialmente amputado. O caso ganhou as manchetes mundiais após ser registrado no mês de março no British Medical Journal, publicação da área médica. Não há explicação sobre o que causou a ereção prolongada no indiano. 


O membro chegou a ficar com a coloração escura e o homem sentia muitas dores. Antes de passar pela cirurgia, o paciente teve o sangue do membro drenado pelos médicos. Porém, ele acabou voltando ao hospital, já que os tecidos da região começaram a morrer, gangrenando e ficando de tonalidade preta. A gangrena teria sido ocasionada por um cateter foi deixado no local, como explicou um relatório da King George's Medical University, feito por pesquisadores do periódico. 

O sangue do pênis do paciente chegou a ser drenado, mas o homem retornou ao hospital porque a região começou a gangrenar, ficando com coloração preta

Pesquisadores King George's University (foto) divulgaram caso de indicado que teve pênis amputado após ereção de 48 horas Foto: Reprodução / Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Priapismo


A ereção prolongada é denominada priapismo e descreve a situação médica em que o pênis permanece um longo tempo em ereção, de maneira involuntária e vai se tornando doloroso.

A característica principal do priapismo é que a ereção deixa de ser motivada por estímulo ou excitação sexual. Ou seja, o membro permanece rígido sem excitação ou mesmo após a ejaculação. 

Atualizada às 10h36



Publicidade