Ex-presidente FHC alfineta governo com reforma da Previdência

12/05/2019 21:44

Em resposta à FHC, secretário, deputada e apoiadores saíram em defesa do governo

Publicidade

A reforma da Previdência foi assunto nesse domingo, 12 de maio, quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) alfinetou o atual governo, criticando o texto da proposta. Ele usou o Twitter para comentar sobre a opinião de um economista, que defende beneficiar pessoas de baixa renda com a reforma previdenciária.

FHC- Foto: Agência Brasil

Fernando Henrique Cardoso é sociólogo e presidiu o Brasil entre 1995 e 2003- Foto: Agência Brasil

Fernando Henrique, que é crítico declarado a Jair Bolsonaro, escreveu na rede social: “Ouvi depoimento do economista, que não conheço, Eduardo Moreira, sobre a reforma da Previdência: o ponto dele é correto, tiremos dos que mais ganham, não dos pobres. A reforma é necessária, mas o olhar tem que ser tanto fiscal quanto redistributivo. Eis a questão e a dificuldade", disse, sendo reprovado por apoiadores de Jair Bolsonaro.

Eduardo Moreira esteve na Câmara dos Deputados no dia 9, falando sobre a reforma na Comissão Especial, onde questionou o texto proposto pela equipe econômica e falou da necessidade da mudança não sacrificar pessoas pobres.

Respostas

Em resposta à FHC, Bruno Bianco Leal, que é secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, ressaltou que no próprio governo de Fernando Henrique, já havia a tentativa de equidade no sistema previdenciário, porém, sem sucesso. "Diferente do seu governo, nós vamos conseguir! Não dê palanque aos equivocados", resumiu, em seu Twitter. 

Joice Hasselmann deputada federal do PSL e líder do governo no Congresso Nacional, entrou no assunto, e de maneira também resumida, lembrou o ‘fracasso’ da tentativa de reforma de FHC, explicando que pelo texto atual, ricos e pobres se aposentarão com a mesma idade e que pessoas de baixa renda contribuirão menos que os ricos: "Alô, @FHC! Seu governo tentou e fracassou", escreveu.

Desigualdades

Fernando Henrique é formado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) e ex-professor acadêmico. Foi presidente do Brasil de 1° de janeiro de 1995 até 1° de janeiro de 2003, com dois mandatos consecutivos. Durante o seu governo, segundo o Mestre em História, Leandro Carvalho, 20% da população rica continuou cerca de 30 vezes maior que a dos 20% da população mais pobre: “O Brasil ficou em excessiva dependência do Fundo Monetário Internacional (FMI) e o governo FHC foi responsável pela efetiva inserção do Brasil na política Neoliberal”.

Atualizada às 10h40



Publicidade