Inteligência artificial como educadores em Hong Kong

Curso inovador testa professores virtuais na universidade

Por Plox

12/05/2024 19h33 - Atualizado há cerca de 1 mês

Um curso piloto na Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong está explorando novas fronteiras na educação com o uso de professores gerados por inteligência artificial (IA). A experiência faz parte de um esforço para integrar tecnologias avançadas no ensino, oferecendo aos estudantes aulas de teoria dos jogos por um "Albert Einstein" virtual.

Foto: Reprodução de vídeo

Tecnologia e interação O projeto liderado por Pan Hui, professor da universidade, visa utilizar avatares digitais que podem ser personalizados em aparência, voz e gestos. Os estudantes interagem com esses professores digitais por meio de realidade virtual, o que facilita o aprendizado em um ambiente imersivo e inovador.

 

Desafios e percepções Apesar da tecnologia promissora, a confiabilidade e a eficácia dos professores de IA são pontos de discussão. Há preocupações quanto à capacidade desses avatares de fornecer ensino qualitativo e manter a credibilidade. Pan Hui acredita na coexistência de professores humanos e virtuais, destacando que a inteligência emocional, a criatividade e o pensamento crítico ainda são mais bem administrados por humanos. Feedbacks de estudantes, como o de Cecilia Chan da Universidade de Hong Kong, indicam uma preferência pela interação humana, que oferece experiência real e empatia.

 

Futuro da educação com IA Embora a introdução de professores gerados por IA seja promissora, a experiência de Hong Kong revela tanto o potencial quanto os limites da educação automatizada. A adaptação contínua das universidades à IA será crucial para determinar o equilíbrio ideal entre tecnologia e interação humana no campo educacional.

Destaques