Daniela é a única representante brasileira na maior competição de educação do mundo

12/06/2019 08:16

O evento é realizado a cada dois anos, e reúne os melhores alunos de mais de 60 países

Publicidade

Aos 22 anos, Daniela Carneiro, embarca no mês de agosto para a maior competição de educação profissional do mundo, a WordSkills Kazan 2019. Nascida no interior da Bahia, em Conceição do Coité, Daniela será a única representante brasileira na 45ª edição do evento, que acontece na Rússia entre os dias 22 e 27 de agosto.

O evento é realizado a cada dois anos, e reúne os melhores alunos de mais de 60 países para disputar medalhas em 56 categorias correspondentes às profissões técnicas da indústria e do setor de serviços, como eletrônica, eletricidade, automação industrial, cozinha e confeitaria, entre outras. Os alunos precisarão demonstrar habilidades técnicas individuais e coletivas na sua área durante as provas.

Segundo informações do portal Razões para acreditar, Daniela é apaixonada pelos estudos em Química, e foi por isso pela sua determinação, coragem e inspiração da mãe, que é professora, que aprendeu que a educação poderia levá-la longe.
Ao pesquisar mais sobre a área e o mercado de trabalho, Daniela percebeu que precisaria focar os estudos em outras matérias das Ciências Exatas também, para se dar bem em química. “Tinha uma fascinação pela ciência, pois para mim sempre foi algo mágico, onde era possível desvendar os mistérios do universo, através das moléculas. Desde o Ensino Médio, decidi que queria me dedicar a esse assunto”.

 Foto: Reprodução/CNI Foto: Reprodução/CNI

Daniela se matriculou no kumon, dividindo-se entre o terceiro ano do colégio, com as aulas extras: “escolhi o Kumon, porque é um método individualizado, que desenvolve o autodidatismo e sabia que me ajudaria a alçar grandes vôos”.

No ano seguinte, com aprovação em três universidade públicas (Química, na UFOB, Farmácia na UNEB e Química na UFBA), Daniela escolheu a UFBA, seu maior sonho naquele momento.

Na universidade, Daniela se deu conta que tinha uma certa deficiência na parte prática do curso, ao contrário dos colegas que vinha de cursos técnicos e possuíam certa habilidade com equipamentos específicos da área. Decidindo, então, dar um passo "atrás", para dar dois "á frente".

Daniela então fez inscrição no curso técnico em Química no SENAI de Feira de Santana, e foi selecionada “conversei com minha mãe sobre a mudança e tranquei a faculdade. Muitas pessoas me chamaram de louca por trocar a graduação em uma universidade federal por um curso técnico mas, eu sabia que o curso iria agregar muito ao meu currículo”.

Em 2017, Daniela iniciou o curso técnico, encarando 3 horas de viagem todos os dias para ir e voltar de Coité a Feira de Santana. Até que em 2018, foi selecionada para ser estagiária e cuidar dos laboratórios da escola, mudando para a cidade definitivamente.
Após passar por quatro etapas da seletiva da WordSkills, que envolviam provas teórica e prática, dinâmica de grupo e entrevista individual, foi selecionada por unanimidade dos avaliadores para representar o Brasil na competição. “Me inscrevi sem expectativas e aconteceu isso”.

Atualmente, Daniela se prepara para trazer a medalha de ouro para o Brasil. Mas independente do resultado, ela já diz que todo o esforço valeu a pena: “tenho vivido o sonho e a responsabilidade de representar o meu país numa competição internacional. A educação mudou a minha vida e me mostrou que com dedicação e estudo eu posso chegar mais alto do que eu posso imaginar”.



Publicidade