Doze anos após ter perna amputada por erro médico, criança é indenizada

12/06/2019 15:00

Publicidade

Desembargadores da 5ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) deram ganho de causa para a família de uma criança que teve a perna amputada em um hospital, em 2007. A família receberá do governo do Estado o valor de R$ 150 mil em indenização. Atualmente, a criança tem 12 anos e terá direito a R$ 100 mil, a mãe, R$ 25 mil, e o pai, a mesma quantia da mulher. A Procuradoria Geral do Estado está decidindo se irá recorrer da sentença.

O Hospital Infantil Joana de Gusmão está localizado em Florianópolis Divulgação/Secretaria Estadual de Saúde de SC

Fato aconteceu em 2007, no Hospital Infantil Joana de Gusmão- Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde SC


A amputação aconteceu porque houve demora do Hospital Infantil Joana de Gusmão em diagnosticar a criança, na época com oito meses, que apresentava uma obstrução arterial. O bebê tinha sopro no coração, mas os pais tentaram marcar cirurgia para acabar com o problema, mas eles não conseguiram de imediato. Depois de marcada a cirurgia, os médicos anestesiaram o bebê, mas não o operaram. O sangue coagulou durante a internação, motivado segundo os laudos, por negligencia dos profissionais. A consequência foi a amputação de parte do membro. 


Um dos desembargadores ressaltou o sofrimento da família e entendeu que pelas despesas futuras para tratamento especializado, a vítima é passível de receber a compensação. O menino terá ainda uma pensão vitalícia (para o resto da vida), de um salário mínimo, assim que fizer 14 anos.

Atualização 17h09



Publicidade