Vereador diz que demitirá servidores que não forem à greve contra a Previdência

12/06/2019 16:54

Gilson Reis, do PCdoB, resolveu convocar funcionários da Câmara de Belo Horizonte a marcarem presença na mobilização

Publicidade

Categorias pretendem realizar um movimento em protesto contra a reforma da Previdência proposta pelo governo, nesta sexta-feira, 14 de junho. Para dar mais corpo às movimentações, o vereador Gilson Reis, do PCdoB, resolveu convocar funcionários da Câmara de Belo Horizonte a marcarem presença na mobilização. 

Gilson

Vereador Gilson Reis conclamou servidores a comparecerem ao ato- Foto: Sinpro/MG


Ele bradou na Casa: “Quero me dirigir aos servidores da Câmara Municipal. Sexta-feira não é dia de trabalho é dia de greve geral. Qualquer trabalhador que tem o mínimo de consciência, de perspectiva de direito, que não venha trabalhar. Sejam servidores da Casa ou dos gabinetes”, convocou. Ele informou aos trabalhadores de seu gabinete que se não forem, eles perderão seus cargos já na próxima segunda-feira. 


Diversos outros vereadores criticaram a atitude do parlamentar, como Mateus Simões (Novo). Segundo ele, aplicar essa tática, principalmente nesse momento em que o país precisa de ajustes não é viável, pois, “tentar extorquir o trabalhador para participar desse tipo de movimento é uma deslealdade, um crime”. Inclusive, a parlamentar Nely Aquino (PRTB), que é presidente da Câmara, disse que quem não for trabalhar no dia, seu ponto será cortado. Ela também adiantou que haverá reunião plenária na mesma data e os vereadores que não comparecerem “levarão falta”.

Atualização 9h05



Publicidade