Auxílio Emergencial: aprovados podem ter 3ª parcela cortada; saiba motivos

Por Plox

12/06/2020 16h31 - Atualizado há quase 4 anos

Algumas pessoas podem perder o auxílio emergencial de R$ 600 e ter a terceira parcela cancelada, mesmo já tendo recebido uma ou duas parcelas do benefício.

De acordo com o Ministério da Cidadania, em todas as fases de pagamento será feita uma reanálise dos cadastros aprovados, utilizando as novas bases de dados do Governo e informações que tenham sido inseridas pelos aprovados no cadastro.

Segundo a pasta, o objetivo é evitar pagamentos indevidos para pessoas que estariam aptas no início do processo, porém tiveram uma mudança.

Um dos exemplos seria o trabalhador que estava desempregado e, durante o período do pedido e pagamento da segunda parcela, tenha arrumado um emprego formal.

Como os dados que constam contratações será analisado, algumas pessoas que se enquadram nesse grupo poderão ter a segunda parcela canceladas.

Ainda tem outros casos para que a pessoa possa ter o benefício cancelado. veja abaixo:

- Ser empregado com carteira assinada
- Estar recebendo seguro-desemprego
- Ser aposentado ou pensionista do INSS
- Receber demais benefícios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas); auxílio-doença; Garantia Safra; seguro-defeso
- Ser de família com renda mensal por pessoa acima de meio salário mínimo (R$ 522,50)
- Ter renda familiar mensal total maior do que três salários mínimos (R$ 3.135)
- Ter mais do que duas pessoas que recebem Bolsa Família na mesma família

Reanálise

Nessa quarta-feira (9), a Caixa divulgou novos números do auxílio emergencial de R$ 600 pagos pelo Governo Federal. De acordo com os dados, aumentou o números de pessoas que estão em reanálise.

Segundo o banco, 5,2 milhões de pessoas em reanálise, o que pode acarretar no cancelamento do benefício.
 

Destaques