Empresário Thiago Brennand é condenado a 10 anos de prisão por estupro

A vítima, uma modelo norte-americana, será indenizada em R$ 50 mil por danos morais; defesa de Brennand alega falta de provas

Por Plox

12/10/2023 07h16 - Atualizado há 9 meses

Thiago Brennand, empresário reconhecido, foi sentenciado a 10 anos e seis meses de reclusão por estupro em regime fechado. O Fórum de Porto Feliz, sob a liderança do juiz Israel Salu, decretou a sentença e determinou uma indenização de R$ 50 mil à vítima por danos morais. A defesa de Brennand contesta veementemente a decisão, afirmando que a condenação se baseia "unicamente na palavra da vítima" e não considera todas as evidências coletadas durante o processo.

O empresário Thiago Brennand — Foto: Reprodução

A vítima, uma modelo dos Estados Unidos residente no Brasil, alega ter sido agredida sexualmente pelo empresário em sua residência em Porto Feliz. O encontro inicial entre os dois ocorreu quando ela tinha intenções de adquirir um cavalo da propriedade de Brennand. A mulher afirma que o relacionamento durou três meses, período em que sofreu constantes ameaças e agressões verbais.
“Começamos a sair e ele começou a me ofender, a chamar de puta, (a dizer) que eu não era de confiança, enfim, me ofendeu muitas vezes com coisas bem pesadas. Ele me ameaçava com arma, se ele me matasse ninguém saberia”, disse em depoimento ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP).
 

Segundo relatos da vítima ao Ministério Público de São Paulo, Brennand a forçou a ter relações não consentidas, causando-lhe lesões graves. Além disso, o empresário, de acordo com a acusação, teria a ameaçado com uma arma e feito declarações intimidatórias.

Outras Acusações 

O empresário Thiago Brennand — Foto: Reprodução

Thiago Brennand enfrenta acusações em outros processos, tanto em Porto Feliz quanto em São Paulo. Alguns desses casos foram encerrados após acordos. Em São Paulo, Brennand ainda enfrenta três processos judiciais, com alguns deles já em estágios avançados.

A trajetória do empresário até sua condenação inclui sua saída do Brasil, residindo temporariamente no Oriente Médio, até sua prisão preventiva e extradição dos Emirados Árabes Unidos. Durante seu relacionamento com a vítima, ele teria ameaçado vazar vídeos íntimos e feito outras alegações para mantê-la por perto.

A defesa do empresário refutou as acusações, afirmando que a relação entre Brennand e a vítima tinha intenções diferentes e negando todas as alegações de agressão. A decisão cabe recurso.

 

O juiz Israel Salu, ao proferir a sentença, considerou os relatos da vítima consistentes e destacou várias ocasiões em que Brennand demonstrou comportamento agressivo. Salu também ressaltou a importância da palavra da vítima em casos de crimes sexuais, especialmente quando apoiada por outras evidências.

Em nota à imprensa, os advogados que representam a modelo, afirmaram disseram que ficou  "emocionada, aliviada e com serenidade" ao saber da decisão. "Confiamos na Justiça e seguimos firmes lutando pelo fim da impunidade e pelo combate à toda forma de violência contra a mulher", afirmaram os advogados João Vinicius Manssur, Marcelo Luis Roland Zovico e Marcio Cezar Janjacomo.

Destaques