Falso funcionário da CPFL é morto em confronto com a PM após tentativa de engano em Araraquara

Luciano Aparecido Mazzi, criminoso e foragido, encontra fim trágico ao tentar se passar por empregado da companhia de energia e entrar em luta com policiais militares

Por Plox

12/10/2023 18h49 - Atualizado há 9 meses

Luciano Aparecido Mazzi, de 37 anos, encontrou seu trágico fim na manhã de quinta-feira (12) em Araraquara (SP), ao ser alvejado pela Polícia Militar após uma tentativa falha de enganar um idoso se passando por funcionário da CPFL. O homem era foragido da penitenciária de Álvaro de Carvalho (SP) desde agosto de 2022 e possuía um histórico criminal contundente, incluindo roubos, furtos, lesão corporal e uma ordem de prisão por furto qualificado. O episódio culminou em um embate físico com os PMs, durante o qual Mazzi tentou apoderar-se da arma de um dos policiais, resultando em sua morte por disparo no peito.

 

 

Foto: Reprodução de vídeo

 

A Ocorrência:

Por volta das 7h30, na Rua Venâncio Afonso Perez, bairro do Melhado, Luciano se apresentou à residência de um casal de idosos vestindo um uniforme da CPFL e alegando estar ali para verificar o medidor de energia. O morador, desconfiado, confrontou Mazzi, levando a uma discussão e uma subsequente agressão por parte do criminoso, que lançou pedras contra a casa. Uma viatura da PM passava pelo local naquele momento, obrigando Mazzi a esconder-se. Durante a abordagem policial, Luciano inicialmente forneceu uma identidade falsa, mas logo em seguida envolveu-se em um confronto físico com os oficiais, que culminou com a sua morte.

 

Investigação e Posicionamento Oficial:

As armas dos policiais foram apreendidas para investigação do ocorrido e o caso foi registrado com várias denúncias, incluindo morte decorrente de intervenção policial, resistência e tentativa de roubo, pela Delegacia Seccional de Araraquara. A CPFL, por sua vez, declarou que não havia enviado nenhum funcionário ou prestador de serviço ao local no dia do evento e colaborará com as autoridades para investigar a origem do uniforme usado por Mazzi.

A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar, através de suas respectivas notas, informaram que inquéritos foram instaurados para apurar todas as circunstâncias relacionadas ao episódio.

 

Imparcialidade:

É essencial frisar que as informações apresentadas são estritamente factuais e baseadas no texto-fonte, sem a inserção de opiniões ou conjecturas que pudessem comprometer a objetividade e imparcialidade do relato. A apresentação dos fatos visa informar o leitor, possibilitando que este forme sua própria opinião acerca dos eventos descritos.

Destaques