Israel mantém Hamas sem água e comida até que reféns sejam liberados

Confronto eleva o número de vítimas fatais a 2.554; brasileiros estão entre as vítimas e desaparecidos

Por Plox

12/10/2023 08h22 - Atualizado há 9 meses

O conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas, que governa a Faixa de Gaza, tem intensificado desde o último sábado (7). O ataque inesperado por parte do Hamas resultou na invasão de território israelense, ocasionando mortes e sequestros de civis. O balanço atual aponta para 2.554 mortos, com a brasileira Bruna Valeanu e Ranani Glazer entre as vítimas. Além disso, o Ministério da Saúde de Gaza indica que 1.354 pessoas perderam a vida devido aos ataques israelenses e mais de 6.049 ficaram feridas.

Bloqueio persiste

 

Foto: reprodução

Diante do cenário de sequestro de seus cidadãos, Israel declarou que manterá o cerco à Faixa de Gaza e que nenhuma exceção humanitária será feita até que todos os reféns sejam libertados. Esta posição contrasta com o apelo da Cruz Vermelha, que solicitou a Israel a permissão para o transporte de combustíveis, visando evitar uma crise ainda maior nos hospitais de Gaza. Estima-se que o Hamas tenha levado cerca de 150 pessoas para Gaza, e 97 famílias israelenses já foram informadas sobre possíveis parentes reféns.

Situação em Gaza: Hospitais em crise e ações militares

Foto: reprodução

Os hospitais em Gaza enfrentam uma grave escassez de recursos. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) destacou que a reserva de combustível dos geradores de hospitais está acabando. Em paralelo, vídeos mostram o sistema antimísseis de Israel, Domo de Ferro, interceptando mísseis disparados pelo Hamas. Durante este cenário tenso, Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, chegou a Tel Aviv para conversas diplomáticas.

Retorno ao Brasil

Na madrugada desta quinta-feira (12), um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) aterrissou na Base Aérea do Galeão, Zona Norte do Rio de Janeiro, trazendo 214 brasileiros de volta ao país. Estes cidadãos estavam retidos em Jerusalém, Israel, devido ao conflito com o grupo terrorista Hamas. O avião, um KC-30 (Airbus A330 200), levou 14 horas de viagem, decolando de Tel Aviv às 12h30.

Operação "Voltando em Paz"

 

Foto:divulgação

A iniciativa de repatriação é parte da Operação "Voltando em Paz", conduzida pelo governo federal. O Itamaraty, em coletiva de imprensa, esclareceu que idosos, grávidas e crianças são considerados grupos prioritários no processo. Além dos cidadãos, o voo recente também trouxe três gatos e um cachorro. Para brasileiros ainda em Israel que desejem retornar, um formulário de inscrição foi disponibilizado pela Embaixada do Brasil em Tel Aviv.

Retornos Anteriores

Antes deste grupo, dois outros já haviam sido repatriados. Os primeiros 40 passageiros, a bordo de um jato C-99 Condor da FAB, chegaram ao Rio na quarta-feira (11) às 8h40. Emocionados, ao desembarcarem, se ajoelharam ao lado de uma bandeira brasileira na pista da Base Aérea do Galeão. Esse grupo inicialmente havia pousado em Brasília.

Na mesma quarta-feira, à tarde, um adicional grupo de cem brasileiros chegou ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, Galeão. Este grupo, composto majoritariamente por membros de uma igreja, relata alívio por estar de volta ao solo brasileiro após os momentos tensos vividos em Israel.

Destaques