Bolsonaro sai do PSL

12/11/2019 16:48

Segundo informações, o presidente tem interesse em montar um novo partido

Publicidade

Nesta terça-feira (12), o presidente da República Jair Messias Bolsonaro, anunciou sua saída do Partido Social Liberal (PSL).

Bolsonaro se tornou o primeiro presidente sem ter uma legenda, após a redemocratização.

Segundo o portal de notícias R7.com, o presidente planeja fundar outro partido, com o nome de “Aliança pelo Brasil”.

Ainda segundo o portal, Bolsonaro começará a recolher assinaturas por todo o país para conseguir validar assinaturas eletrônicas, que permitam a fundação da legenda até março do ano que vem, podendo assim, disputar as Eleições municipais de 2020. 

BolsonaroFoto: reprodução

A saída do PSL se deu após uma longa disputa entre Bolsonaro e Luciano Bivar, presidente do partido, que fez a bancada da sigla se dividir entre bolsonaristas e bivaristas. 

Parlamentares da ala de Bolsonaro defende que o partido agora se apequena com não só a saída de um presidente, mas com a saída do principal nome que alavancou o pequeno partido e que teria elegido a maior parte dos deputados e senadores da sigla. 

Há quem vê que a saída do presidente será positiva para o PSL, a ala bivarista. Parlamentares acham que o partido ganharam com a “perda do espaço para discurso extremista”, segundo eles.

A deputada Carla Zambelli, eleita pelo PSL em São Paulo, disse ao “Uol” que o partido “se apequena não só porque perde o presidente da República, mas também por conta de como esse 'casamento' acabou: sem atender ao pedido para implementar o compliance e a transparência das contas". A parlamentar completa dizendo que a sigla agora será “só mais uma” e que lamenta, porque “tinha esperança de que conseguiríamos ajudar a reorganizar o país dentro do PSL”.

O deputado eleito pelo PSL na Paraíba, João Lemos, da ala bivarista, disse ao “Uol” que o partido não irá acabar ou ficar mais fraco, que o PSL “é uma casa muito confortável para os parlamentares que estão aqui, que são valorizados”. O parlamentar finalizou afirmando que apesar da saída do presidente do partido, eles estão alinhados em relação às pautas do governo, “visando a governabilidade”.
 



Publicidade