Hackers cometem ataques contra diversas autoridades da área judicial

13/06/2019 08:31

Dentre alguns atingidos, estão procuradores, juízes e promotores

Publicidade

Diversas autoridades da área judicial têm sofrido com ataques de hackers em seus celulares, assim como o ministro da Justiça Sérgio Moro e o coordenador da Lava-Jato, Deltan Dallagnol. Dentre alguns atingidos, estão procuradores, juízes e promotores.

Telegram

Foto: Reprodução


Um dos casos mais recentes aconteceu nessa terça-feira, 11 de junho, quando José Robalinho Cavalcanti, ex-presidente da Associação Nacional de Procuradores (ANPR), estava jantando e recebeu uma ligação como sendo pelo procurador militar Marcelo Weitzel. “Ele [o invasor] me mandou um áudio, que, segundo ele, era muito bombástico contra a Lava-Jato. Eu estava em um jantar e não pude ouvir imediatamente. O áudio me pareceu a voz de um colega. Mas, diferentemente do que o falso Marcelo disse, eu respondi, de forma técnica, que não havia nada demais. Ele ainda discordou de mim, e, ao fim, disse: abraço do hacker”, comentou José Robalinho. O mesmo hacker teria usado a conta de Marcelo Weitzel para encaminhar mensagens no Telegram para o grupo do Conselho Nacional do Ministério Público.


Outra que teve sua privacidade invadida foi a juíza Gabriela Hardt, da Lava-Jato; o desembargador Abel Gomes, relator da força-tarefa no Rio de Janeiro; o juiz Flávio de Oliveira Lucas, também do Rio; o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot; os procuradores Januário Peludo, Paulo Galvão, Thaméa Danelon, Ronaldo Pinheiro de Queiroz, Danilo Dias, Eduardo El Haje, Andrey Borges Mendonça e Marcelo Weitzel, e o  jornalista Gabriel Mascarenhas.

Atualização 9h28
 



Publicidade