Pintinhos machos podem ser sacrificados na Alemanha, segundo decisão da Corte Federal

13/06/2019 11:58

A decisão vale até que se encontre metodologia para verificar o sexo do animal dentro do ovo em escala industrial

Publicidade

Até que seja possível distinguir o sexo nos ovos na Alemanha, o setor poderá continuar sacrificando milhões de pintinhos machos, até que se encontre metodologia para verificar o sexo do animal dentro do ovo em escala industrial. A Corte Administrativa Federal teve que se posicionar a respeito do caso, definindo que se poderia eliminar os machos, embasando-se em artigo da lei de defesa dos animais de que "ninguém tem o direito de infligir aos animais dores, sofrimentos, ou danos sem motivos razoáveis". Anualmente, quase 50 milhões de pintinhos são mortos no país, geralmente por trituração.

(foto: John MACDOUGALL / AFP)

Foto: Reprodução


A juíza Renate Philipp informou que a prática de sacrificar os machos é embasado por “motivo razoável até que se encontrem métodos" para determinar o sexo no ovo. Na primeira e segunda instância de julgamento, a Corte levou em conta que o lado econômico dos locais onde se criam galinhas eram prioritários, uma vez que os pintos machos são custosos para a reprodução e não têm muita utilidade no mercado. Para a ministra da Agricultura, Julia Klöckner, crítica à prática, diz que "matar os animais depois de seu nascimento por causa de seu sexo não é possível". 

(foto: John MACDOUGALL / AFP)

Foto: Reprodução

Existem várias técnicas para se distinguir o sexo no ovo na Alemanha, porém, ainda não há possibilidade de que eles sejam aplicados na indústria em larga escala. O ministério da Agricultura local liberou € 8 milhões (Euros) para pesquisar outras opções, que não seja a morte dos pintinhos.

Atualização 13h01



Publicidade