Youtuber que incitou a morte de Bolsonaro e filhos é investigado pela PF

13/08/2019 10:57

Ele é militante do PDT e pode ser investigado por crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra do presidente

Publicidade

O youtuber Vinícius Guerreiro, que está sendo investigado pela Polícia Federal por incitar e fazer ameaças de morte ao presidente Jair Bolsonaro e família em rede social, se disse arrependido. Vina, como também é conhecido, é jornalista e se apresenta nas redes sociais como integrante do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e também como líder do Movimento Comunitário Trabalhista de São Paulo.

Ele diz que tem sido ameaçado depois que postou o vídeo e acabou apagando todos os vídeos da plataforma. Vinícius afirma que a incitação à morte do presidente “foi um acesso, um arroubo, eu cometi muito exagero ali. Não tenho intenção de fazer o que disse no vídeo. Aquilo foi um grito mesmo de 'chega'".

Foto: Reprodução/YouTube

Vina Guerrero é alvo de inquérito da PF- Foto: Reprodução/YouTube


Tentando se defender, o jornalista declarou que depois de um dia agitado em seu trabalho resolveu fazer a filmagem após declarações de Bolsonaro das quais não gostou. O inquérito contra ele foi instaurado a partir do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que ainda avalia enquadrar o jornalista na Lei de Segurança Nacional, onde será investigado pelos crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra do presidente. A filmagem foi anexada à ação. 

O vídeo

A gravação tem pouco mais de 10 minutos, mas é possível vê-lo irritado e transtornado, pedindo o assassinato do presidente e dos filhos Flávio, Carlos e Eduardo. Vinícius bradou: “Não tem mais condição de aceitar um b**** como Bolsonaro no poder. Esse cara tem que ser assassinado, ele e a família, menos a filha que não é política, [mas sim], os políticos da família Bolsonaro para resumir, os quatro: os três filhos b**** e o próprio pai”, disse.

O militante ainda disse aos opositores ao governo que comprem armas para iniciar uma revolução: “Pede armamento para a Venezuela e vamos começar uma guerra! É isso que tem que acontecer”.

Atualizada às 11h49



Publicidade