Ipatinga

inusitado

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Menina fica com lábio imenso após ser picada por lacraia enquanto dormia em SP

    Jovem afirmou que sentiu falta de ar enquanto era levada para uma UPA. Ela não corre risco de vida

    Por Plox

    13/10/2021 22h49 - Atualizado há 6 dias

    Um jovem, de 21 anos, ficou com o lábio superior inchado após ter sido picada por uma lacraia enquanto dormia em casa, na cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo, no sábado (11). O animal pode ter até 23 centímetros e se esconder em residências durante o dia.

    O caso veio à tona após a própria vítima, a estagiária de comércio exterior Nataly Galdino, ter postado a situação nas redes sociais. A menina contou que precisou procurar atendimento em um hospital, onde descobriu que a centopeia libera um veneno considerado pouco tóxico.

    Animal que picou jovem. Foto: montagem/ arquivo pessoal/ Instituto Vital Brazil

     

    Ela relatou que estava dormindo, quando acordou com algo grudado no cobertor e uma garra presa na boca dela. Nataly disse que a dor era insuportável e que puxava, mas não conseguia retirar a parte do corpo do animal do lábio dela. "Levantei da cama, liguei a luz, vi minha boca cortada e a lacraia, gigante, na coberta", declarou.

    Ela foi levada a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Santos com falta de ar, foi atendida, medicada e liberada após cerca de duas horas. A jovem contou nas redes que foi informada por um médico que não corria risco de vida. Ela segue em recuperação e tomando medicação.

    Antes e depois da picada. Foto: reprodução/ arquivo pessoal

     

    Lacraias

    Caçadoras noturnas ágeis, as centopeias têm o corpo adaptado para entrar em frestas, onde se escondem durante o dia. Elas se alimentam de insetos, lagartixas, camundongos e de filhotes de pássaros. As informações são do Ministério da Saúde. Veja mais detalhes sobre as lacraias, ainda conforme a Biblioteca Virtual do governo federal:

    "Têm o corpo formado por 21 segmentos, cada um com um par de patas pontiagudas. Em sua cabeça situam-se duas antenas e olhos. Embaixo dela ficam os ferrões venenosos que funcionam como pinças. O último par de patas não serve para a locomoção, e sim como órgão sensorial e de captura de alimentos. Quando esse órgão pressente ou toca em uma presa, a segura com força e todo o corpo da lacraia se dobra para trás. Aí, então, ela injeta o veneno que paralisará ou matará a presa, que depois será ingerida aos pedaços.

    O veneno das lacraias é muito pouco tóxico para o homem. Embora existam muitas lendas a respeito desse animal, não há, no Brasil, relatos comprovados de morte nem de envenenamentos graves em acidentes com lacraias. Os sintomas são dor forte e inchaço no local da picada. Em acidentes com lacraias grandes também podem ocorrer febre, calafrios, tremores e suores, além de uma pequena ferida.

    As lacrais gostam muito de umidade. Como perambulam muito, é comum penetrarem nas casas, onde causam muitos acidentes, que podem ser evitados tomando-se as seguintes precauções:

    - limpar os ralos semanalmente com creolina e água quente, e mantê-los fechados quando não em uso;
    - limpar e manter fechadas as caixas de gordura e os esgotos;
    - os jardins devem ser limpos, a grama aparada e as plantas ornamentais e trepadeiras devem ser afastadas das casas e podadas para que os galhos não toquem o chão;
    - porões, garagens e quintais não devem servir de depósito para objetos fora de uso que possam servir de esconderijo para as lacraias;
    - os muros e calçamentos devem ser cuidados para que não apresentem frestas onde a umidade se acumule e os animais possam se esconder.

    Tomando-se esses cuidados, a ocorrência de lacraias diminui muito. Mas, em caso de acidente, evite beber álcool, querosene, cachaça, etc., pois isso só lhe causaria intoxicação. Mantenha o local da picada o mais limpo possível. Embora o veneno das lacraias não seja muito perigoso para o ser humano, é bom procurar orientação médica.

    Tratamento

    Não existe antídoto; deve-se aplicar compressas quentes no local. Pode-se fazer uso de analgésicos e anestésicos sem adrenalina no local.

    Como evitar acidentes por escorpiões, aranhas e lacraias:

    - manter jardins e quintais limpos. Evitar o acúmulo de entulhos, lixo doméstico, material de construção nas proximidades das casas, inclusive terrenos baldios;
    - evitar folhagens densas (trepadeiras, bananeiras e outras) junto às casas;
    - manter a grama aparada;
    em zonas rurais, casas de campo, sacudir roupas e sapatos antes de usar;
    - não pôr a mão em buracos, sob pedras, sob troncos "podres";
    - usar calçados e luvas ao mexer em locais que podem abrigar escorpiões e aranhas;
    - vedar frestas e soleiras das portas e janelas ao escurecer".

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]