CPI: técnico responsável por minas de sal da Braskem fica em silêncio

Ex-funcionário da Braskem, Paulo Roberto Cabral de Melo, ampara-se em habeas corpus para não responder a questionamentos sobre afundamento de bairros

Por Plox

14/05/2024 13h21 - Atualizado há 5 dias

Paulo Roberto Cabral de Melo, ex-engenheiro responsável pelas minas de sal-gema operadas pela Braskem, que resultaram no afundamento de vários bairros em Maceió, se recusou a responder perguntas durante uma sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado. A investigação foca nos danos causados pela mineração, que deslocou cerca de 40 mil pessoas na capital de Alagoas.

Foto: Lula Marques/Agência Brasil

O direito ao silêncio foi garantido ao ex-engenheiro por um habeas corpus concedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Na sessão, que ocorreu nesta terça-feira (14), Cabral de Melo justificou sua escolha de não depor, citando investigações policiais em andamento contra ele, incluindo buscas em sua residência e a quebra de seus sigilos fiscal, bancário, telemático e telefônico.

"Por orientação da minha advogada, presente aqui, optei por não responder às perguntas relacionadas às minhas atividades na Braskem ou em empresas antecessoras", afirmou Cabral de Melo, ressaltando seu respeito pelo trabalho da CPI.

Mesmo com a recusa em responder, o relator da CPI, senador Rogério Carvalho (PT-SE), insistiu em questionar o ex-engenheiro sobre seu conhecimento dos problemas recorrentes na mina, como desmoronamentos. "Ficarei em silêncio, eminente senador", foi a única resposta de Cabral de Melo.

O engenheiro, que iniciou seu trabalho nas minas de sal-gema em 1976 e foi gerente da planta de mineração em Maceió até 1997, seguiu colaborando com a Braskem como consultor por meio de sua empresa, Consalt Consultoria Mineral Ltda.

O relator da CPI mencionou um depoimento anterior de Cabral de Melo à Polícia Federal, no qual ele teria assumido responsabilidades sobre a operação das minas. A CPI, que começou seus trabalhos em 12 de dezembro de 2023, está programada para apresentar seu relatório final amanhã, às 9h, com a expectativa de que seja aprovado pela maioria dos membros da comissão até o prazo final, em 22 de dezembro.

Destaques