Ministro do STF ordena liberação de coronel da PMDF acusado de omissão durante invasão de 8 de janeiro

Após meses de detenção, coronel Jorge Eduardo Naime Barreto é solto sob condições cautelares, incluindo o uso de tornozeleira eletrônica

Por Plox

14/05/2024 10h39 - Atualizado há 13 dias

O ministro Alexandre de Moraes, integrante do Supremo Tribunal Federal, determinou a libertação do coronel Jorge Eduardo Naime Barreto, ex-comandante do Departamento de Operações da Polícia Militar do Distrito Federal. Barreto, preso desde fevereiro de 2023, agora enfrenta a justiça em liberdade provisória, impostas sob rigorosas medidas cautelares, incluindo restrição de movimentação e monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados

Acusações e contexto dos eventos
O coronel Barreto foi acusado de omissão durante os ataques ocorridos em 8 de janeiro de 2023, quando manifestantes invadiram e vandalizaram as sedes dos Três Poderes em Brasília. A Procuradoria-Geral da República atribuiu a ele e outros membros da cúpula da PMDF a responsabilidade por não intervir de maneira efetiva para impedir os danos aos patrimônios e a possível desestabilização do Estado. Segundo a acusação, Naime e outros oficiais teriam se omitido propositalmente, influenciados por ideologias conspiratórias.

Próximos passos no judiciário
Naime, junto aos demais oficiais acusados, deverá comparecer a uma audiência de instrução já agendada. As medidas cautelares adicionais incluem proibição de acesso a redes sociais e de porte de armas, além de recolhimento domiciliar durante as noites e fins de semana. A decisão de soltura foi motivada pela recente passagem de Naime para a reserva, diminuindo sua influência direta sobre os acontecimentos na corporação, conforme expresso pelo ministro Moraes.

Destaques