Assessores protocolam pedido de Comissão Processante contra vereador de Ipatinga

14/08/2019 12:52

O pedido foi protocolado após denúncias feita pelos assessores do vereador João Francisco Bastos (PTC), o Chiquinho

Publicidade

Na tarde dessa terça-feira (13), foi protocolado na Câmara Municipal de Ipatinga, um pedido de Comissão Processante (CP), contra o vereador Gilmarzinho, preso a cerca de 3 meses pela GAECO, na operação Dolos, acusado de integrar o esquema de “rachadinha”, onde vereadores recebiam parte do salário de seus assessores.

O pedido foi protocolado após denúncia, feita pelos assessores do vereador João Francisco Bastos (PTC), o Chiquinho, atual suplente de Gilmarzinho. Segundo a assessoria da Câmara, o pedido foi encaminhado ao Jurídico da casa, para avaliar se contém todos os elementos necessários para ir a votação, na próxima reunião da Câmara.

Caso o pedido tenha todos os elementos e entre na pauta da próxima reunião, para que seja aberta uma CP, é necessário que 13, dos 19 vereadores votem a favor. Se aprovada, será feito um sorteio entre os vereadores, onde três serão escolhidos para presidente, vice-presidente e relator da CP, e terão 90 dias para concluir os trabalhos.

gilmarzinhoVereador Gilmarzinho está preso na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba-MG. Foto: Reprodução

Entenda o Caso

O vereador Gilmar Ferreira Lopes (PTC), o Gilmarzinho, foi preso no dia 25 de abril deste ano, em sua residência, pelo GAECO, na Operação Dolos, deflagrada em 15 de fevereiro deste ano, que investiga o esquema de “rachadinha”, onde vereadores recebiam parte do salário de seus assessores, na Câmara Municipal de Ipatinga.
 



Publicidade