Novo PAC em Minas Gerais: Mais da metade dos projetos aguardam aportes privados

Sete dos 12 principais projetos de Minas Gerais incluídos no novo PAC dependerão do setor privado; secretário de Casa Civil Marcelo Aro se diz otimista com futuro das ações

Por Plox

14/08/2023 07h22 - Atualizado há 10 meses

Mais de 50% dos 12 projetos prioritários de Minas Gerais, que fazem parte do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estão na expectativa de investimentos vindos da iniciativa privada. As obras que incluem a duplicação da BR-381, rota entre Belo Horizonte e Governador Valadares, bem como melhorias na BR-040, conectando a capital mineira ao Rio de Janeiro e Distrito Federal, estão na mira de novos leilões.

 

AGÊNCIA BRASIL

Obras com investimento público

Além da dependência do setor privado, há projetos que serão impulsionados somente por verbas do governo federal. Entre eles, destaca-se a pavimentação da BR-367 e a construção da barragem do rio Gravatá, ambos situados na região do Vale do Jequitinhonha. O projeto Hidroagrícola do Jequitaí, no Norte de Minas, que visa expandir o cultivo irrigado em uma área superior a 35 mil hectares, será financiado por recursos tanto da União quanto do governo estadual.

Visão otimista do governo mineiro

Marcelo Aro, secretário de Estado de Casa Civil do Governo de Minas, enxerga na parceria com o setor privado uma possível solução para antigos problemas de infraestrutura do estado. Segundo ele, após intensas negociações com o governo federal, todos os projetos apresentados por Minas Gerais foram aprovados. Aro também destaca que a boa relação do governador Romeu Zema com o setor privado pode ser determinante para o êxito dessas iniciativas.

Foco do governo federal na iniciativa privada

O governo federal também vê no setor privado um aliado. Rui Costa, ministro da Casa Civil, menciona que o novo PAC tem como diferencial a articulação com estados, buscando incentivar parcerias público-privadas. Ele convoca empresários a contribuir com sugestões e demandas sobre as obras do programa federal.

Desafios das concessões

Algumas rodovias, como a BR-381, apelidada de 'Rodovia da Morte', têm leilão marcado para 24 de novembro. O leilão já falhou duas vezes, gerando preocupações entre as concessionárias. Entretanto, Marcelo Aro assegura que melhorias no projeto foram implementadas após os fracassos anteriores, tornando-o mais atraente para empresas. A BR-040, outro projeto, enfrenta um cenário de incertezas e disputas judiciais, envolvendo a concessionária Via 040 e o governo federal.

Resumo das responsabilidades das obras

  1. BR-381 (BH-Governador Valadares) - Espera-se CONCESSÃO.
  2. BR-040 (BH-Rio) - No aguardo de CONCESSÃO/RELICITAÇÃO.
  3. Pavimentação da BR-367 (Vale do Jequitinhonha) e BARRAGEM DO RIO GRAVATÁ - Contam com VERBAS DA UNIÃO.
  4. Projeto Hidroagrícola do Jequitaí - Financiado por VERBAS DA UNIÃO e governo estadual.
Destaques